Olhar além de mim... de ti... de nós...

Ultimamente tenho observado muito as pessoas que me rodeiam e tenho pensado muito sobre os relacionamentos.

A forma como nos relacionamos mostra o que somos, o que sentimos, o que desejamos, o que precisamos, os nossos medos, os nossos anseios, enfim... tudo e mais alguma coisa.

Diz-se que os olhos são o espelho da alma... realmente são. Eu diria que a maneira como eu me relaciono com os outros e os outros comigo é o espelho dos nossos corações e o estado em que estão.

Olhando para a generalidade dos cristãos, eu não vejo Cristo.

Muitas vezes, eu própria não reflicto Cristo aos outros, porque não me relaciono com essas pessoas da forma como Ele se relacionaria.

Olho para a vida de Jesus e não vejo uma situação em que Ele se tenha queixado, buscado primeiro o seu interesse ou conforto em vez do dos outros. Não vejo nele o egoísmo, a necessidade de falar de si mesmo e só de si, não ouvindo os outros.

Não, em Jesus eu vejo o contrário. Ele primeiro dava. Atenção, palavras, conforto, seja o que fôr, mas Ele dava primeiro. Afinal, Ele veio para servir, para dar-se.

E engraçado que mesmo os cristãos, na sua generalidade, num relacionamento, falam mais de si do que procuram falar com a outra pessoa, saber como ela está, interessar-se por ela com um interesse genuíno e não apenas porque fica bem mostrar preocupação.

Muitas vezes eu falo com pessoas que se atropelam com as palavras, que me atropelam com as palavras, que têm essa grande necessidade de falar de si mesmas.

Há uma carência muito grande... é a conclusão que eu tiro. As pessoas andam carentes, necessitadas de um relacionamento mais profundo, de quem as ouça, de quem as ampare. Tão necessitadas que muitas vezes nem ouvem os outros.

Diria mais... os cristãos andam muito carentes e necessitados. Os seus corações andam frágeis, vazios, e isso nota-se muito nos relacionamentos.

Precisamos estar mais perto do Pai, bem mais perto, pois quem está perto d'Ele constantemente, consegue reflectir a mesma forma de estar de Jesus. Precisamos de cura dos nossos corações. Cura para as nossas feridas, para que possamos olhar além de nós mesmos e tocarmos os outros como Jesus tocaria.

Jesus, o homem que mais se preocupou com os outros, que mais conversou com os outros de uma forma profunda, que mais questionou os outros, levando-os a expôr o seu interior.

Jesus... que sejamos formados cada vez mais à sua imagem. Eu e tu.

9 comentários:

Voice_Of_The_Opressed disse...

Concordo totalmente contigo, as pessoas andam muito carentes, é patetico do meu ponto de vista, há que ser forte nesta vida, muito forte mentalmente e espiritualmente tambem; digo isto pq não sou crente em Deus algum de nenhuma religião; Sempre vi Jesus como um humanista, esta é a minha perspectiva; os meus valores enquadram-se dentro dela e uma coisa sei de certeza; não é com uma população fraca de espirito (o resto vem por acrescimo) que se vai a lado algum, infelizmente este foi o lema portugues e continua a sê-lo: sejamos fracos á espera de um salvador, humano ou não

Raquel disse...

É verdade! Tenho notado o mesmo! Cada vez mais as pessoas querem falar delas próprias, precisam de falar. Quase que há diálogos entre surdos que só falam se si, mas não conseguem sequer ouvir o outro. Será porque muitas vezes se deixa de ter a conversa com o Pai em dia?

Lou Mello disse...

Paulo, o apóstolo, ensinou: "Fiz-me fraco com os fracos e forte com os fortes." Gosto disso e penso em Jesus agindo assim, igualmente.

Por favor, corrija o link para meu blog conforme o link do comentário.

Marlene Maravilha disse...

Ainda bem que temos um Salvador fiel e justo, porque nós mesmos somos ingratos e incompetentes com Ele e com os outros.
beijo linda.

Visi disse...

Uma grande verdade!!Mas sabes, para sermos cada vez mais parecidos com jesus temos que ter MUITA COMUNHAO, LER MUITO A PALAVRA, ORAR MUITO, JEJUAR, ORAR EM LINGUAS, afastarmo-nos das coisas mundanas.. Sò com a pratica destas coisas, só com o aproximar continuo seremos cada vez mais parecidos com ele.Mas o contrario verifica-se pois os cristãos estão muito "mundanos".Ao invez de influenciar somos influênciados.Há tambem uma coisa extremamente importante: o ensino nem sempre é o mais correcto. Cada vez há mais igrejas a pregar vaidade e menos cristo, mais valor material e menos santidade!

Entre-aspas disse...

A fragilidade humana não me choca de todo, até porque é isso mesmo que nós somos... fracos. E, não estou a falar de "miserabilismo" e auto-comiseração.
Por nós próprios nada podemos fazer, no entanto o cristão tem um recurso inesgotável: uma nova natureza, uma nova identidade!
Apenas tem que a revelar e não escondê-la, na vivência caótica das circunstâncias.

di disse...

Vivemos dias muito acelerados, em que nada é para sempre.
Por essa mesma razão não damos o devido valor aos relacionamentos e principalmente à intimidade.
Gostei muito desta tua abordagem, que a cada dia possamos buscar uma intimidade genuína e verdadeira com o Pai, e que isso se reflicta nas nossas vidas.

Flôr disse...

SER CRENTE, não é somente acreditar em Cristo! Muitos acreditam, até santanás acredita em Cristo!

Para mim, ser crente, SER CRISTÃ É, ACIMA DE TUDO, VIVER COMO CRISTO! Viver como Ele viveu! SER SUA DISCIPULA!

Sei que é muito, mas muito difícil viver como Jesus! Mas temos que tentar, temos que nos esforçar para o ser!
Ele deixou-nos o seu testemunho, nós, nós só temos que seguir o exemplo!

Um dia feliz!

:9

Joel disse...

Tenho pensado isso ultimamente...Acabo sempre por viver para e por mim mesmo e em busca dos meus interesses, quando não era isso que Jesus fazia.

"Cura-me Pai, faz-me cada vez mais parecido com Jesus."