Pequeno... pequenino

Quanto mais anos vivo, mais me apercebo que são as pequenas coisas que me alegram, e que são também as pequenas coisas que me entristecem.

É nas minhas pequenas coisas do dia-a-dia que vejo o quão estou perto ou não de Deus. Se eu conto com Ele ou não nos pormenores da minha vida.

Cá dentro, bem dentro do meu ser, eu quero contar, pois Ele habita cá, bem no meu coração, dentro de mim.

Preciso muito aprender tantas coisas com Ele, sobretudo aprender a VIVER com Ele.


Eu não mereço o Teu amor
Eu não mereço Teu calor
Mas meu ser Te quero dar
Meu coração Te oferecer, Jesus

Eu não mereço Tua Vida
Não mereço Tua alegria
Mas Tu mas dás vezes sem fim
P’ra meu ser não se perder em mim

Que posso fazer senão chorar?
Que fazer senão adorar?

Meu coração triste está
Meu corpo prostrado está
Minha alma espera por Ti
És o meu amado Jesus
09.12.08

Como já dizia o Sting...

"I'm an alien, i'm a legal alien, i'm an english man in New York"
Esta música foi escrita para mim! *risos e gargalhadas*
Cada vez me sinto mais um extraterreste neste mundo... uma extraterreste feliz! Não quero deixar de sê-lo.
Olho para trás e não consigo entender de onde vem o meu humor... tinha tudo para ser uma pessoa triste. Foi Deus. Deus faz-me rir da vida, mesmo quando me apetece chorar, ficar sentada de cabeça baixa e me deixar estar... É a Graça.
Não entendo de onde vem a minha descontração natural... tinha tudo para ser uma pessoa inibida, o oposto da descontracção... Foi Deus. Faz-me relaxar, rir das circunstâncias mais difíceis, ver portas onde outros vêem muros. É a Graça.
Porém... quantas e quantas vezes os outros vêm portas e eu vejo muros... porque estou com a visão limitada, destorcida, fraca. Por meu pecado, por minhas falhas...
Quantas vezes acontecem situações nas quais devia estar descontraída e não estou... A minha carne fala mais alto e a descontração natural evapora-se... puff!
Tudo isto me mostra que tudo o que me faz ser um extraterreste neste mundo não vem de mim. Mas é engraçado sentir que essa obra não sai de dentro de mim mesmo quando eu falho. Há algo permanente que tem sido feito dentro de mim.
Algo que o meu pecado não pode apagar. Algo que Satanás não pode apagar. Algo que os outros não podem apagar.
Deus faz coisas definitivas no nosso interior que não são susceptíveis aos ventos das nossas emoções, coisas que nos transformam numa pessoa nova.
E eu agradeço-Te, Pai, porque me fazes sentir uma extraterreste neste mundo! E eu gosto de assim o ser, pois sei que o sou para a Tua Glória.
Mesmo que os outros não me entendam, Tu entendes-me e sorris comigo (ainda que por dentro me apeteça chorar).
Amo-Te, meu querido e estranho PAI.

Pela fé...

"Pela fé, o Espírito nos ajuda nas nossas fraquezas. Porque não sabemos o que devemos pedir, nem como pedir, mas o Espírito pede por nós, e com tal ardor que não há palavras que o possam exprimir. E o Pai, que conhece todos os corações, sabe na verdade o que o Espírito pretende ao interceder em nosso favor, em harmonia com a vontade de Deus."

Romanos 8:26,27

Adoração desconhecida

"Pois o que fala em línguas desconhecidas não fala para os homens, fala para Deus, uma vez que ninguém entende as coisas misteriosas que o Espírito lhe inspira." I Co 14:2





Meu coração deseja adorar-Te, meu Amado.

É para isso que eu vivo, ainda que por vezes o meu ser se desvie desse propósito.

Mas... quando estou contigo, o meu ser eleva-se até Ti e Tu vens até mim.

Existe em mim uma canção de amor por Ti, meu amado. Engraçado, mesmo quando eu não Te sou fiel e não me lembro de Ti, essa canção está dentro de mim.

Há algo que Tu já marcaste profundamente dentro de mim: uma canção de amor que não se cala, não se apaga, ninguém pode ouvir senão eu mesma e o Teu ser.

Isso faz-me chorar, meu Deus, porque sou tão pouco merecedora dessa marca dentro de mim. Sinto que Te entristeço tantas vezes... Mas sei que também Te alegro tantas outras vezes.

A fidelidade do Teu amor é algo que continuo sem conseguir expressar. O meu ser é limtado para expressar isso... É grande demais.

O Teu Espírito inspira-me a dizer coisas misteriosas nesses momentos. A minha própria linguagem é limitada, não consegue exprimir os sentimentos do meu coração, as verdades.

O que fala em línguas não fala para os homens, fala para Ti.

É sobretudo, para mim, uma linguagem íntima de adoração.

Amo-Te, meu querido Deus, o TEU PERFUME QUERO SENTIR CONTINUAMENTE!

Espírito

"Eu baptizo-vos com água, mas Ele vos baptizará com o Espírito Santo." Mc 1:8


Leio estas palavras... os meus olhos fecham-se e a a minha cabeça baixa-se. É uma realidade muito forte para mim e o Espírito lembra-me de como a sua pessoa é alguém tão importante.
Espírito Santo. Aquele que já desceu sobre mim de uma forma especial, que faz questão de me lembrar do quanto Ele mesmo é real e palpável.
Obrigada, Espírito, porque não te ausentas de mim mesmo quando eu passo dias sem te dirigir uma palavra.
Obrigada, Espírito, porque desceste sobre mim de uma forma que me faz crer em ti, mesmo quando a minha fé parece ter desaparecido.
Obrigada, Espírito, porque me alegras. Sei um pouco o que é alegrar-me por tua causa.
Obrigada, Espírito, porque não desistes de mim, mesmo sabendo que preciso de conhecer-te muito mais... Conheço-te tão pouco ainda...
Obrigada. Simplesmente por quem és.

Amar quem eu acho que não merece

O meu Jesus trouxe ideias muito radicais: amar os meus inimigos.

Quando não existem "conflitos" na minha vida que envolvam outras pessoas, eu leio estas palavras de ânimo leve e até penso que são fáceis de serem vividas.

Mas quando o meu coração foi magoado por outros, injustamente, e Deus me pede para amar essas pessoas... a dificuldade aparece. Sendo uma pessoa que não guarda rancor com facilidade (pensava eu, talvez erradamente...) vejo-me na situação de me apetecer dar o mesmo troco que me deram.
Alguém que me magoou injustamente chega perto de mim e pede-me ajuda... para uma coisa tão pequena e insignificante, mas pede... e isso faz surgir sentimentos no meu interior:
"Eu? Quero lá saber... pede ajuda a outro... afinal não és uma pessoa tão boa, tão melhor do que os outros? Para que precisas de mim?"
A minha justiça e bondade próprias não são nada diante de Deus. Vejo-me a sentir coisas completamente ao contrário do que gostava de sentir. Eu, a Paula, tão boazinha, a sentir exactamente o que a minha carne quer que eu sinta... as inclinações completamente contrárias ao Espírito.
Tudo isto confirma o que há muito sinto dentro de mim: Eu nunca serei boa, nunca serei capaz de fazer isto ou aquilo por mim.
Às vezes parece-me que os cristãos pensam que o caminho a percorrer é um caminho de auto-melhoria, de nos tornarmos mais piedosos, de nos tornarmos mais "santinhos". Todas estas ideias têm, para mim, uma aparência bíblica mas não são verdadeiras, tal como é costume as termos.
Nós evoluímos e caminhamos um percurso de maior conhecimento e intimidade com Deus. O conhecimento, relacionamento e interacção amorosa com Deus é que aumentam, não é a nossa natureza que se molda mais.
É aquilo que sinto e que vejo acontecer em mim. A Paula não atinge este ou aquele patamar de bondade. Vai é, dia-a-dia, vendo mais claro o Senhor, humilhando-se mais, pedindo mais perdão pela Sua carne às vezes falar mais alto, vai-se relacionando mais com o Espírito.
Inundar... é isso que vai acontecendo dia-a-dia, com maior intensidade.
Eu nunca serei boa. Nunca. Vou é conhecer mais o meu Deus e amá-Lo e deixar-me amar por Ele.
Se sempre tiver estas certezas, nunca vou achar que sou melhor que os outros, que já atingi isto ou aquilo, que sou superior aos outros.
E quantos cristãos têm estes sentimentos em relação aos outros...

Sentimentos

Meu querido Deus,

Obrigada por tudo o que tens dado ao meu interior... mesmo sem eu pedir, mesmo sem eu pensar nisso, mesmo sem desejar ou sequer lembrar-me.

Não entendo porque me estás a dar todas estas coisas. Tenho medo que desapareçam, pois sinto que sou tão pouco merecedora desta liberdade interior que me estás a dar...

Tenho medo que tudo acabe, que tudo se vá desvanecendo, pois sabes o quanto sou inconstante no meu interior. Se há alguma segurança em mim, ela vem de Ti.

Sinto liberdade no meu interior, sinto alegria, sinto paz, amor, tranquilidade, doçura e amizade. Obrigada, porque tudo isto é fruto do Teu Espírito em mim.

Liberdade no meu espírito. Parece que no sossego da minha alma tenho conseguido ouvir o que vai no meu próprio espírito. E isso enriquece-me tanto...

O meu espírito conecta-se ao Teu Espírito Santo. E o fruto produz-se em mim.

Só Tu podes preencher quem eu sou de todos estes frutos. E obrigada porque isso não é para meu benefício próprio...

Amo-Te, meu amado.

Eu sou do meu amado, e Ele é meu!

Adoração pela Graça

Realmente as coisas no Reino de Deus não funcionam pelo que nós merecemos.

Há muitos dias em que me sinto surpreendida pelo meu Pai.

Dias ou fases em que eu, exteriormente, não O busco da mesma forma, não estou com Ele da mesma forma... enfim, aparentemente não estou tão ligada a Ele. Porque não faço as mesmas coisas.

É muito fácil ter este tipo de pensamento ou forma de pensar: Se eu não estou a falar tanto com Ele ou a ler tanto a Bíblia, Ele não vai estar comigo da mesma forma.

Deus ensina-me que eu O posso buscar mesmo andando em silêncio com a minha boca. Tenho realmente andado calada com Ele, mas o meu espírito tem entoado muitas melodias a Ele.

Como diz uma música que eu gosto muito e que um dia estará espalhada pelos montes, pelas cidades, pela Natureza, "Eu amo-Te, os meus lábios estão consagrados a Ti" e eu digo estas palavras com o meu espírito.

Hoje o Espírito inspira o meu espírito nas profundezas do meu ser.

Eu, que não tenho falado muito com o meu Pai através das minhas palavras, sinto-me muito ligada a Ele em espírito. Isso encanta-me e faz-me sorrir. Sorrir pela Sua beleza, porque realmente as coisas não funcionam como nós, humanos limitados, pensamos.

Até a adoração é pela Graça, somente.

Repousar

No Teu colo!

Ver a Tua face


Com Deus tenho aprendido tanto a ser feliz com coisas tão simples... Às vezes sinto que se apenas vivesse essas coisas até ao fim da minha vida, eu seria feliz.
Olho à minha volta e vejo como por vezes complicamos tanto as coisas... Afinal, chegar até Ti é tão simples...
Basta que seja humilde e tenha um coração sincero.
Isso agrada-Te e Tu moves-te.
Às vezes vejo os Teus filhos buscando ver a Tua face pelas suas próprias forças... desejam tanto ver as Tuas manifestações, desejam tanto ver o Teu poder em acção, a Tua nuvem visível a descer que se esquecem de buscar-Te a Ti, simplesmente, pelo que Tu és.
Às vezes sinto-Te usado pelas pessoas, meu Pai. Isso custa-me. Sei que isso não me deveria custar, pois Tu podes muito bem com isso e, com toda a Tua paciência, sabes bem lidar com isso.
Não precisas dos meus sentimentos de piedade em relação a Ti. Mas eles são reais em mim.
"Seguia-o uma grande multidão, porque viam os milagres que ele fazia a favor dos doentes." Jo 6:2
Jesus, continuas a ser alvo do mesmo: de vidas sedentas por ver-Te em acção, ver-Te mudar as impossibilidades humanas num ápice. Ver os Teus milagres, ver as Tuas curas, ver as ressurreições, ver, ver, ver, ver.
Não sinto nada de errado em querer ver o Teu poder, mas querer ver isso sem sorrir para o Céu apenas pela Tua presença, sem saber o que é abraçar-Te, sem saber o que é viver problemas contigo ao lado, soa-me a vazio, oco.
Tenho descoberto uma coisa muito preciosa: só quem vive um relacionamento chegado contigo poderá vibrar com a acção das Tuas mãos. Porquê? Porque foi mais um vislumbre da Tua face a não apenas de umas mãos solitárias, das quais não se conhece o DONO.
Eu quero ver a Tua face, Pai. Quero permanecer abraçada a Ti, até à eternidade. Quantas e quantas vezes eu largo-Te, deixo de Te abraçar e fico mal... Mas quero aprender a permanecer no teu colo.
"Felizes os sinceros de coração, porque hão-de ver a Deus!" Jo 5:8

Vem, Espírito de Deus!

É tão bom viver com o Espírito e pelo Espírito...


Alguns dos melhores momentos que vivi e que guardo no meu coração são esses momentos...

Momentos em que a presença divina é tão real em mim que me faz mover numa dimensão completamente diferente, como se essa, sim, fosse a dimensão normal.


Adoro-Te, meu Deus e meu Pai, porque olhas para mim, vês o que eu sou, tão infiel, e mesmo assim me tocas, me abraças.


Realmente Tu escolhes os fracos, os desgraçados, os que não têem qualquer valor e os fortaleces, animas, levantas, unges. Eu sinto-me assim, alvo do Teu amor e da Tua misericórdia.


Ajuda-me a não olhar para o que me rodeia mas a aprender a continuar a caminhar, não tirando os meus olhos dos teus. Quando eu ando assim, o que se passa à minha volta fica tão pequenino... Há uma paz que me invade e me faz ficar com um sorriso interior, aguardando, olhando à minha volta, procurando pela Tua presença, por pequenos sinais das Tuas mãos.


Eu amo-Te, Pai, e quero amar-Te mais.

Meu coração espera em Ti, por Ti, bate por Ti e neste momento está cheio de ternura por Ti, por quem Tu és, simplesmente.


Te adoro, com o meu coração prostrado, e não quero mais sair do Teu abrigo.


Ajuda-me, Senhor, a ser...

"Como um farol que brilha à noite

Como ponte sobre as águas

Como abrigo no deserto

Como flecha que acerta o alvo."



Escrito em 10/09/08

As tormentas

O que é que me faz levantar muito mais cedo para buscar Deus?

Não são os momentos bons, infelizmente.

Digo infelizmente porque preciso de viver situações desesperadoras para buscar Deus continuamente. Sou mesmo muito cabeça dura...

Quando não vejo solução nas coisas, quando está tudo escuro e esse escuro dói-me, eu sou capaz de buscar Deus em qualquer hora e em qualquer lugar.

Sou capaz de me levantar às 6:00 como hoje... porque sei que o meu dia depende daquele tempo. Porque sinto que preciso desse tempo para que a minha amizade com Ele me fortaleça e dê forças para enfrentar as dificuldades que me esperam ao amanhecer.

Jesus fazia isso. É o que eu faço às vezes... buscar o PAi num monte isolado antes do mundo acordar. Preciso disso desesperadamente SEMPRE, não só quando sinto que preciso.

Afinal, a minha relação de amizade com Ele é para os bons e maus momentos.

E nos bons, ainda que eu regozije com Ele, o meu coração não está quebrantado como devia estar.

Depois de escrever este artigo, fui escrever o título e ia escrever: "Que venham as tormentas!", mas não consegui. Eu sei que elas são boas e fazem bem, mas neste momento não consigo escrevê-lo de todo o coração. Deus sabe.

Santo, Santo, Santo

“E o pedido que lhe faço é que, segundo os seus recursos gloriosos, vos fortaleça poderosamente no vosso interior pelo Seu Espírito e que Cristo, devido à vossa fé nele, habite cada vez mais nos vossos corações.E então, bem estabelecidos, bem enraizados, no terreno do amor de Deus, poderão, em comunhão com todos os outros crentes, compreender com clareza tudo o que representa o amor de Cristo para convosco, em toda a sua dimensão: a sua extensão, profundidade, vastidão, enfim, a sua altura celestial.
Que possam experimentar esse amor, ainda que ele ultrapasse toda a compreensão. E assim ficarão cheios de toda a plenitude da presença de Deus.”
Efésios 3:16-19


A plenitude da presença de Deus.

É algo que eu desejo.Eu posso ser poderosamente fortalecida no meu interior pelo Espírito Santo. Era a oração de Paulo a favor dos Efésios.
E Cristo pode habitar no meu coração mas de uma forma fraquinha. Só a minha fé nele pode fazer com que a Sua presença dentro de mim seja cada vez maior.

Eu preciso de estabelecer raízes no amor de Deus, ou seja, preciso conhecê-lo mais, experimentá-lo mais, com uma tal intensidade que me vai fazer ter uma confiança cega nesse amor. Esse amor nunca me falhará. Viver crendo nisso é estar enraizada no terreno do amor de Deus.

Só aí, e em comunhão com todos os outros que vivem assim, eu posso compreender como esse amor é grande e variado, porque Deus manifesta-se de formas diferentes a cada um de nós.

Mesmo que este amor seja incompreensível para mim, eu quero experimentá-lo. Só assim ficarei cheia da plenitude da presença de Deus.

Uma coisa Deus tem-me mostrado ao longo da minha caminhada com Ele e, especialmente, nas últimas semanas:

Eu só posso compreender algumas coisas e sobretudo experimentá-las estando perto de quem Deus quer atingir com o Seu amor. Não é apenas dentro da minha casa, no meu cantinho com Ele, que eu vou experimentar o Seu poder em mim, que eu vou aprender cada vez mais quem Ele é.

No mesmo dia que Deus, mais uma vez, me mostrou isto, eu fui levada por Ele a estar com pessoas que precisam de ajuda. Eu não busquei isso, não pensei como poderia estar com essas pessoas, nada. Deus simplesmente levou-me até elas e, numa certa medida, pude compreender algumas realidades espirituais na prática.

Quando eu pensava, nesse dia: “Mas como é que eu poderei chegar àquela pessoa?” Deus de seguida desbloqueava as coisas e, passado umas horas, eu estava em frente da pessoa com quem eu desejava estar. É bom sentir o Espírito de Deus a me dirigir e a abrir todas as portas à frente dos meus olhos.

Eu fui escolhida para realizar as obras que Deus planeou para mim.

“Por isso te recordo que deves tornar mais vivo o dom espiritual que Deus te deu quando te impus as minhas mãos. Porque Deus não nos deu um espírito de medo e timidez mas um espírito de poder, de amor e de autodomínio.” II Tm 1:6,7

“Que o amor seja o vosso fundamental objectivo; mas aspirem também com zelo aos dons que o Espírito Santo vos dá, e especialmente o dom de pregar a mensagem de Deus.” I Co 14:1

(Imagem do Templo da Sagrada Família - Barcelona. Nas suas torres tem escrito, em todos os lados, "Santo, Santo, Santo." Aquele tempo tem algo de muito especial.)

Que sejam vencidos os meus inimigos!

Obrigada Paizinho pela Tua palavra linda. Só por si ela faz com que o Espírito se mova no meu interior, trazendo consolo, visão, desejo, anseio. Ela faz com que eu levante os meus olhos e deseje mais de Ti.


“Que sejam vencidos os inimigos da minha alma. Saibam o que é a desgraça e o opróbrio os que me querem mal. Mas eu continuarei à espera da Tua ajuda, e Te louvarei cada vez mais.” Vs. 13

Muitos têm sido os meus inimigos, todos eles usados por Satanás. Esse sim é o meu principal inimigo. Quantas vezes ele me consegue enganar, fazendo-me desanimar perante as situações que me custam, incentivando-me a não manter a perspectiva de Deus sobre as coisas. Mas ainda que eu seja enganada, eu declaro neste momento que ele não tem poder sobre a minha vida, pelo sangue que Jesus derramou por mim especificamente. Jesus, só Tu és o meu dono, só tu mereces todo o meu louvor. A Ti dobro os meus joelhos, me prosto e deixo-me ficar, olhando para ti com os meus olhos fechados. Espero em Ti, Cordeiro de Deus.
Que os meus inimigos conheçam a Tua justiça. Eu tenho tido a Tua ajuda e quero louvar-te cada vez mais e com mais intensidade.


“Andarei sustentado pela força do Senhor meu Deus. Falarei a todos da Tua justiça, e só dela.” Vs 16

Sustentada pela Tua força somente. Quanto mais vivo mais vejo que sem ti eu não posso viver uma VIDA verdadeira. Eu sou muito fraca, muito inconstante, muito pouco firme. Preciso muito andar constantemente sustentada por Ti, Pai. Só Tu dás à minha vida a força, a constância, a perseverança na nossa amizade, a firmeza aos meus pés e sobretudo ao meu coração e olhos (visão).
Para falar da tua justiça, eu preciso conhecê-la.


“Desde a minha infância me tens ensinado, ó Deus. E sempre até aqui tenho anunciado as maravilhas que tens feito.” Vs 17

Pensar que eu já era tua filha desde a minha infância faz-me vibrar. Sim, eu não tinha reconhecido a tua paternidade nessa altura, mas eu já era a tua filha, pois tu já tinhas escolhido o meu ser para entrar na tua família. Desejo que os meus filhos possam dizer o mesmo, que possam reconhecer que desde pequeninos Tu os tens ensinado. Desejo que eles vivam um relacionamento verdadeiro contigo. Desejo que eles se deitem contigo, abraçados a Ti. Que eles também se levantem contigo e que nos seus lábios esteja sempre um sorriso por Tua causa. Que Tu brinques sempre com eles e sejas fiel na demonstração da Tua amizade nas vidas deles. Que, apesar de tudo o que eles virão a passar, Tu sejas o renovo, a cura e a força.
E que tanto eu como eles possamos anunciar ao mundo todas as maravilhas que tens feito em nós. Abre os nossos olhos para que tenhamos o discernimento de ver todas essas maravilhas.

“Deixaste-me atravessar muitos males e apertos. Mas sempre renovarás a minha vida, arrancando-me dos abismos deste mundo. Dar-me-ás honras maiores do que as que tinha antes e voltarás a confortar-me. E eu Te louvarei com música e instrumentos, a Ti e à Tua verdade, ó santo de Israel!” vs 20-22

Pensando nos últimos anos da minha vida, eu vejo muitos momentos agradáveis na minha vida. Vejo também momentos de grande dificuldade. Tens permitido atravessar problemas difíceis. Poderias não ter permitido, mas como Pai querido me colocaste no meio da tormenta e não tiraste o Teu olhar de mim. Eu tinha de crescer (e continua a precisar de crescer até o dia em que deixe de respirar) e Tu sabias que esse crescimento precisava de criar raízes. Hoje vejo que para aprender as Tuas verdades de uma forma profunda e intensa, eu tenho de experimentá-la nas dificuldades. Dói, eu não desejo isso, mas se eu quero ser participante das Tuas bênçãos, eu também preciso participar nos Teus sofrimentos.

“Falarei aos outros da Tua justiça o dia inteiro, pois todos quantos tentaram fazer-me mal já caíram em desonra e desgraça.”

Amén!
(Versículos retirados do Salmo 71)

Voltei

Ainda não foi desta que me fui... hihihi

Brevemente escreverei novidades.

Beijinhos

Ala que se faz tarde!

Vou-me embora!

Nem tão cedo voltarei. Só quando as férias acabarem...

Mas deixo algo que Deus me tem levado a conhecer.

O avivamento que aconteceu em Azuza Street em 1989.

Deixo aqui um excerto da época:

"O irmão Seymour normalmente se sentou atrás de duas caixas de sapato vazias, uma em cima da outra. Ele acustumava manter sua cabeça dentro da caixa de cima durante a reunião, em oração. Não havia nenhum orgulho lá. Os cultos continuavam quase sem parar. Almas sedentas poderiam ser encontradas debaixo do poder quase qualquer hora, da noite ou do dia. O lugar nunca estava fechado nem vazio. As pessoas vieram para conhecer Deus. Ele sempre estava lá. Conseqüentemente, foi uma reunião contínua. A reunião não dependeu do líder humano. Naquele velho prédio, com suas vigas baixas e chão de barro, Deus despedaçou homens e mulheres fortes, e os juntou novamente, para a Sua glória. Era um processo tremendo de revisão. O orgulho e a auto-asserção, o ego e a auto-estima, não podiam sobreviver lá. O ego religioso pregou seu próprio sermão funerário rapidamente.

Nenhum assunto ou sermão foi anunciado de antemão, e não houve nenhum pregador especial por tal hora. Ninguém soube o que poderia acontecer, o que Deus faria. Tudo foi espontâneo, ordenado pelo Espírito. Nós quisemos ouvir de Deus, através de qualquer um que Ele poderia usar para falar. Nós tivemos nenhum "respeito das pessoas." O rico e educado foi igual ao pobre e ignorante, e encontrou uma morte muito mais difícil para morrer. Nós reconhecemos somente a Deus. Todos foram iguais. Nenhuma carne poderia se gloriar na presença dEle. Ele não pôde usar o opiniático. Essas foram reuniões do Espírito Santo, conduzidas por Deus. Teve que começar num ambiente pobre, para manter o elemento egoísta, humano, ao lado de fora. Todos entraram juntos em humildade, aos pés dEle."


Há algo que me toca muito neste avivamento: ele começou porque um grupo de pessoas, pelas quais ninguém dava nada, começou a pedir a Deus que derramasse mais dele. Ainda por cima liderados por um preto.

Eles literalmente gritaram durante três dias e três noites por um avivamento e passado esses três dias a casa que vêm na foto ruiu.

Não estou a querer dizer que Deus tem de agir sempre assim ou manifestar-se sempre de uma forma visível, mas que Ele não fica indiferente, não fica.

Portugal, prepara-te pois um avivamento já chegou.

...



Jesus eu quero ficar contigo
Eu quero ser teu amigo
Quero comer no teu prato
Calçar os meus pés nos teus sapatos
E Te abraçar


Jesus eu quero muito você
Pegar tuas sandálias e esconder
Esconder para você não sair
Pois eu quero estar perto de Ti
E Te abraçar


Jesus eu quero deitar no Teu colo
Te contar tudo, tudo o que sei
Decansar recostado em Teu peito
Ouvindo o Teu coração
E me acalmar


Jesus eu quero vestir sua camisa
Com as mangas maiores que meus braços
Correr pela casa ao Teu encontro
E me abandonar no Teu abraço
E Te abraçar

Elogios

"Não procuro elogios da parte dos homens." Jo 5:41

Disse Jesus.

Com a Sua missão tão revolucionária, Jesus não podia mesmo estar à espera de agradar as pessoas. Elogios dos homens? Nah. Não podia estar à espera deles.

Ele pede-me o mesmo... sempre me tem pedido isso. Para viver independentemente dos elogios dos outros, independentemente da aprovação dos outros.

Eu, Paula, devo estar segura somente n'Ele.

Se dói? Sim.
Custa? Muito
Vale a pena viver assim? SIM

Eu só quero receber as honras que vêm do alto. Com essas, sim, eu sinto-me satisfeita, porque é a Ele que eu quero agradar.

"Como podem vocês acreditar em mim se o que procuram é receber honras uns dos outros e não as que vêm só de Deus?" Jo 5:44

Meu querido Deus, quantas vezes eu já esperei pelos elogios dos outros. Quantas vezes fiz isso, mesmo sem me aperceber... Só o Teu Espírito para sondar as profundezas do meu coração e trazer à luz as minhas verdadeiras intenções.

Obrigada pelo primeiro dia em que me pude ajoelhar diante de Ti e ouvir o Teu Espírito me falar sobre as minhas intenções. Foi um dia duro, não o vou esquecer, mas foi um dos dias em que mais claramente senti a Tua sonda em mim, o Teu Espírito falar-me tão claramente.

Obrigada porque muito tempo se passou e Tu continuas a insistir comigo para que busque apenas as honras que vêm de Ti. Obrigada porque muito já aprendi nesta área.

Como posso eu acreditar em Ti e viver exclusivamente para Ti se vivo preocupada em receber aprovação e elogios dos outros?

Não posso.

Renúncia

"Se alguém vier ter comigo e não me tiver mais amor do que ao pai, à mãe, à mulher, aos filhos, aos irmãos e às irmãs e até a si próprio, não pode ser meu discípulo. E aquele que não quiser pegar na sua cruz e vir comigo, também não pode ser meu discípulo." Lc 14:27,28

Sempre achei estas palavras de Jesus muito fortes.

Pregamos que a Salvação é grátis, fácil, é só aceitar, apenas crer.

Realmente a Graça é algo imerecido mas não é algo que eu possa aceitar de ânimo leve.

O cristianismo fácil faz-me confusão. Faz porque ao olhar para Jesus, Ele pede um preço muito alto a todo aquele que quer ser seu discípulo. E quem não quiser pagar esse preço não pode ser seu discípulo.

Simplesmente não pode.

Eu até posso ir ter com Jesus e procurá-lo, mas se eu não estiver disposta a pagar o preço de ter um amor a Ele que é O maior e mais importante para mim, eu não posso ser discípula dele.

Não é em vão que Jesus diz que aquele que o quer seguir deve ponderar bem o que é necessário e se está disposto a isso. Porque há uma cruz a carregar, a cruz que faz com que sejamos identificados com Jesus. A cruz que faz com que eu seja um com Ele.

Estas palavras de Jesus doem-me. No fundo do meu coração. Mas é uma dor inferior à alegria que eu posso sentir de estar a amá-Lo mais.

Jesus pede-me que eu esteja disposta a entregar algo que é muito precioso para mim simplesmente nas Suas mãos. E confiar. Somente. Se eu não der esse passo, eu não sou sua discípula. E só Ele sabe o quanto eu desejo ser sua discípula.

Eu sou como uma criança aos olhos dele. Vejo que Ele me pede uma coisa de cada vez. Ele olha para mim e diz:

"Sim, Paula, agora já estás pronta para dar mais um passo no teu crescimento. Vai, força! Enquanto não deres esse passo, não estarás pronta a avançar. Entrega e confia."

Se eu quiser seguir os Seus passos, andar onde Ele andou, tenho de ter um amor maior a Ele do que a qualquer coisa.

Carinho que dá força


Quase todas as noites, quando coloco a minha filha na cama para dormir, me lembro de Deus e do Seu carinho por mim.
Porque muitas vezes, devido a um problema de saúde que ela tem, ela chora com dores e eu nada posso fazer para aliviá-la. O que eu faço é levantá-la, abraçá-la, beijá-la, falar com ela e orar por ela.
E voltar novamente a deitá-la na cama. E vê-la acalmar-se com o carinho que lhe dei e dormir. Ela tem aprendido a suportar as dores e hoje em dia praticamente já não chora, apesar de eu saber que ela continua acompanhada com as dores.
Quantas e quantas vezes o meu coração se constrange porque tenho a noção de que é isso que Deus faz comigo nas minhas dores da alma. Ao contrário de mim, Ele tem poder para mudar a minha situação, mas muitas vezes não o faz porque eu tenho de passar por essas coisas.
Não pedi eu um coração mais humilde?
Não pedi eu um coração que depende só dELe?
Não pedi eu para viver uma vida em intimidade profunda com Ele?
Não pedi eu para sorrir nas adversidades?
Não pedi eu para ter uma vida feliz?
Ele tem respondido e muitas vezes a resposta aos meus pedidos tem trazido dores à minha alma, humanamente falando.
Mas SEMPRE Ele me tem feito como eu faço à minha filha (claro que de uma forma perfeita, ao contrário de mim)
Tem-me levantado, abraçado, beijado, falado comigo para me acalmar e soprado a Sua alegria e força. Sempre que eu permito.
E assim Ele me volta a colocar na situação, mas eu já estou calma, segura, forte. Aí, eu posso continuar a caminhar o caminho que Jesus já caminhou comigo.
Carinho do alto que me dá força... uma realidade na minha vida.
Aqui deixo a letra da música que toca aqui no Blog. Ilustra bem o meu sentimento.
Elevo os meus olhos pra te encontrar
e vejo os Teus olhos tão cheios de amor
em Teus braços eu sinto tanto calor
em Teus braços eu sinto tanto amor
Te amo Jesus
Desejo ficar mais e mais em tua tão doce presença
Te amo

A minha seta afiada

Tu estás a chegar

e eu mal posso esperar para te conhecer

Meu coração palpita

Meu corpo até estremece só de saber



Caminho ao teu encontro


Suportando as dores e por dentro a sorrir

Quero-te abraçar

És a minha promessa que eu já estou a amar


Tu és pura

Nas tuas mãos carregas transparência

Tu és marca do amor

No teu olhar reflectes vida do Senhor



Andrea Timor


Querida filhota,

Obrigada por existires, por seres quem és e como és.

És uma seta afiada no meu saco que me permite matar os meus inimigos com mais precisão.

Tens-me feito uma guerreira mais determinada e mais segura.

Realmente nas tuas mãos tu carregas transparência. Tu és uma marca de amor e levas ao mundo o amor, pela tua adoração sincera.

Abençoada sejas, princesa, por seres tão cuidada e observada pelo nosso Pai. Tu fazes parte do Sonho, do grande sonho que Deus está a sonhar e a efectuar aqui neste lugar.

Só de olhar para ti o meu coração é edificado pois há algo de especial que Deus colocou em ti para transmitires aos outros.

És calma, serena e o meu desejo é que essa seja sempre a tua postura interior perante a vida. Muitas coisas vão surgir na tua vida, boas e más, mas eu creio que tu serás alguém que vai viver a vida de uma forma abundante. Abundante no Espírito.

Está nas tuas mãos, minha querida. Sempre estará, mas a marca está já em ti. Estás selada.

Fico contente, filha, por Deus permitir que já tenhas um ano de vida ao nosso lado. Tens enchido tanto os nossos corações...

Deus seja a tua luz.

Vale das lágrimas ou lugar de fontes?

"Felizes aqueles cuja força vem de Ti, e que desejam, do coração, seguir nos Teus caminhos.
Quando atravessarem o vale das lágrimas, farão dele um lugar de fontes, um lugar de poços cheios das chuvas das tuas bênçãos!
E assim irão, com forças constantemente renovadas, apresentar-se perante Deus, em Sião." Salmo 84:5-7


Ainda hoje li estas palavras e o meu coração foi tocado.

Posso experimentar a verdade destas palavras na minha vida.

Desejo muito que todos os vales de lágrimas que eu venha a passar sejam sempre transformados num lugar de abundantes fontes. Muitas vezes isso tem acontecido na minha vida, graças ao Pai, não a mim.

Acho estas palavras lindas.

Olho para elas e vejo no meu coração um percurso. Alguém que é feliz, que sorri, que passa por muitas situações difíceis mas que, no meio delas, recebe paz, alegria, conforto inexplicável. Vindos do alto.

Para quê? Qual o motivo desse percurso?

Apresentar-se a Deus, em Sião, na Sua morada.

Engraçado que ao este percurso, eu vejo alguém vestido de branco, lavado, ainda com os cabelos molhados, descalço e de cabeça um pouco rebaixada, não em sinal de tristeza ou vergonha, mas em sinal de humildade.

Essa pessoa vai feliz, apresentar-se diante de Deus.

Bem-aventurados os que sofrem. Esses podem ir apresentar-se diante de Deus de todo o coração.

You're still the one

Para ti, meu querido, a nossa música.

Palavras para quê?

Para ti, aquele que não vale nada

"Portanto agora podemos entrar com toda a confiança no santuário, porque Jesus morreu por nós.

Aproximemo-nos, pois, de Deus com coração sincero e cheios de fé, purificados de toda a consciência de pecado e o corpo lavado com água pura." Hebreus 10:19,22



Há quem pense que algumas pessoas são mais importantes para Deus do que outras, mais "espirituais".

Há filhos que se sentem insignificantes diante de Deus. Acham que não têm qualidades, não têm capacidades, não conseguem buscar a Deus como algumas pessoas, não conseguem ter a fé que algumas pessoas têem.

Numa determinada altura da minha vida já me senti assim também, por isso consigo compreender o que sentem estas pessoas. Perfeitamente.

Sempre ouvimos, sabemos e lemos que Deus usa os fracos, os humildes, os quebrantados, mas no fundo não acreditamos muito nisso, pois se acreditássemos não achávamos ninguém melhor que nós. Achamos que isso é conversa bonita mas que não conseguimos ser "tão espirituais" como os outros, ter as mesmas experiências com Deus.

E afinal de contas, Deus diz essas coisas bonitas de aceitar os humildes, os fracos, etc., mas parece que Ele só age naqueles que são fortes, determinados, naqueles que "mostram" muitas coisas, que falam muito, que "crêem e acontece".

Como disse, já pensei e já senti assim, mas há muito tempo que compreendi que essa é uma grande mentira que Satanás lança sobre os filhos de Deus.

O caminho para o Santo dos Santos está aberto a todos. Podemos entrar com TODA A CONFIANÇA. Porque somos "espirituais"? Porque temos muita fé? Porque temos tido muitas experiências sobrenaturais? Porque somos "OS" escolhidos?


Até quando acharemos que o Reino de Deus se rege pela lógica humana? Até quando?


Não é por acaso que Jesus foi desprezado e mal recebido e a sua mensagem continua a ser difícil de entender nos nossos dias pela Igreja.

Damos mais importância a quem estudou numa Escola Bíblica do que a quem não o fez. Partimos do princípio que essa pessoa conhece melhor Deus do que as outras. Critérios humanos.

Achamos que Deus se agrada mais de nós do que de um sem-abrigo. Porque nós O aceitámos e O servimos e o sem-abrigo não... Somos salvos pela Graça mas parece que depois, no nosso caminhar cristão, já não precisamos da Graça. Precisamos ser bonzinhos e nos esforçarmos para Deus nos aceitar e amar.

Deus escolhe as pessoas loucas deste mundo para confundir as que se acham a si mesmas muito boas. E quando eu penso nesta ideia, penso sobretudo no Reino Espiritual.

Até quando julgarás pela aparência? Até quando verás como o povo de Israel ao escolher Saul como rei, apenas julgando pela aparência?

Às vezes aqueles que nos parecem mais espirituais, mais perto de Deus, são aqueles que menos O conhecem. Mais uma vez, a lógica de Deus não é a mesma que a nossa.

Tu, que te achas fraco, pequeno, sem conhecimento, sem sabedoria, insignificante aos olhos de Deus, lembra-te:

Deus não ouviu a oração do fariseu que orou em voz alta, gabando-se de não ser pecador como os outros. Ou seja, Deus não ouve as orações dos que se acham muito ungidos, dos que acham que eles sim, eles têm a revelação de Deus. Os outros não são tão sábios.

Deus odeia a arrogância e quantas vezes essa arrogância está nos corações dos filhos... de uma forma tão subtil, diluída, mas ela está lá e bloqueia completamente a acção de Deus.

Deus ouviu a oração do publicano, que batia no peito arrependido, reconhecendo que era um pecador.

Deus ouve a tua oração, tu que achas que não vales nada. É para ti que Ele está a olhar. Se calhar aos olhos das pessoas tu não és nada, não tens futuro, não tens sabedoria. Não reconhecem em ti alguém "muito espiritual".

Jesus olha para ti e tu serias uma das pessoas que ele iria procurar.

Deixa de olhar para os outros. Olha para o alto, para Deus. Não vivas a tua vida sempre sentindo que tu "não vais chegar lá", tu não vais conseguir, que os sonhos "espirituais" que tens no teu coração nunca se vão realizar porque tu és um fraco, um incapacitado.

O teu coração está perto de Deus. Deixa agora que Ele mexa, toque, sopre, fale, ame, preencha.

Tu és filho amado.

Acção Invisível


Nos últimos meses tenho sentido que pouco se tem passado na minha espiritual.

Explicando melhor: tenho vivido diante de Deus mas parece que têm acontecido menos coisas, menos aprendizagens, menos relacionamento entre nós por eu também andar mais calada com Ele.

Por vezes, quando os meus relacionamentos são já íntimos e profundos, eu sinto que nalgumas fases nem sempre tenho de falar muito, por vezes basta estar, basta olhar, basta abraçar. Há relacionamento mesmo sem muita “acção visível”.

Todos os relacionamentos passam por fases diferentes e todas elas enriquecem esse mesmo relacionamento.

Com Deus tenho vivido momentos de silêncio aparente, mas de interacção interior. O meu coração tem soltado muitas palavras silenciosas que só mesmo Ele ouve e sente.

Mas há dias em que sinto-me distante d’Ele.

Tenho compreendido que isso é um engano. Temos, por vezes, a ideia de que para haver um relacionamento íntimo com Deus precisamos todos os dias ler a Bíblia, orar, etc.

Tenho vivido algo diferente. Momentos de mais silêncio mas numa interacção quase imperceptível, invisível.

Talvez esteja como Moisés, passando os 40 anos no deserto, sendo moldado silenciosamente, sendo visitado silenciosamente por Deus, tornando-se, lentamente, um homem mais agradável ao coração de Deus.

Assim estou eu: silenciosa mas feliz por estar no deserto. No meu interior passam-se coisas às vezes imperceptíveis ao meu sentir e aos meus olhos. Estou a formar-me na Paula que cada vez mais agrada ao Seu amado.

Fico feliz por isso.

Como diz uma música:

“Eu prefiro estar no deserto e ter o Senhor bem por perto,
Se guiado por Teu Espírito sou, não importa o lugar onde estou
Eu não temerei.”

Coisas que ainda não posso dizer

Ontem, no caminho para o trabalho, vinha a ouvir no carro um CD que gosto muito.

Às tantas ouço uma parte da música que diz:

“Se pudesse escolher apenas uma coisa só, escolhia-Te a Ti.”

(frase dirigida a Deus).

Fiquei a pensar naquela frase. Eu cantei-a, pois ia a cantarolar a música.

Cantei-a e arrependi-me de a cantar.

É algo que eu ainda não consigo dizer de todo o coração.

Deus sabe que O amo e que O desejo muito. É uma realidade no meu coração.

Com tudo o que tenho vivido nos últimos tempos na minha vida, eu vejo que as minhas palavras diminuíram mas tornaram-se mais verdadeiras, as intenções do meu coração mais profundas, mais certeiras.

Quando vivemos uma vida fácil, é muito fácil dizer a Deus que Ele é tudo para nós, que só O desejamos a Ele, que estaríamos dispostos a morrer por Ele, etc. Não fazemos ideia da profundidade e seriedade das coisas que estamos a viver.

Eu tenho vivido, ininterruptamente, momentos de dificuldades e vejo agora quantas vezes eu já disse essas palavras da boca para fora. Quantas vezes Deus não me basta e o que eu quero mesmo é momentos de paz, sem problemas.

Se eu pudesse escolher uma só coisa neste momento, eu escolhia que as dificuldades que tenho vivido terminassem. É o que está no meu coração e Deus sabe disso.

Porém, sinto que estou cada vez mais próxima de conseguir cantar aquela frase convictamente, sabendo tudo o que ela implica e agradeço a Deus por estar a viver situações difíceis há algum tempo.

Afinal, como disse Jesus, não podemos seguí-Lo se Ele não for mais importante para nós do que a nossa mãe, o nosso pai, o nosso marido, os nossos filhos, o nosso trabalho…

Cortar as amarras que nos prendem a essas pessoas e coisas não é fácil. É um processo doloroso. Mas vale a pena.

Só assim eu posso viver as promessas que Deus já me deu. Desligada ao ponto de sacrificar, como Abraão, o meu próprio filho.

Mais uma vez me lembro das palavras dos discípulos: "Palavras duras, quem as poderá suportar?"

Passo contrário

Estão a ver a imagem de 500 soldados a marchar?

Imaginem um que marcha com o passo descoordenado.

Esse soldado sou eu.

Graças a Deus.

Deus e os homens

Para mim a carta aos Gálatas é uma carta de libertação. Libertação de muitas coisas, mas a que me interessa agora especialmente é a libertação da opinião dos outros sobre a minha vida.

Por ser uma pessoa insegura por natureza, sempre me preocupou o que os outros pensavam de mim. E continua a preocupar.

Essa é uma necessidade básica do ser humano, dizem os psicólogos (aqueles que descobriram a pólvora que os filhos de Deus deviam ter descoberto há muito, apesar de muitas vezes estarem enganados).

Eu não lhe chamaria uma necessidade básica. Chamaria uma tendência da carne, pois Deus pede-me que contrarie isso.

“Procuro agradar não a pessoas mas a Deus. Se procurasse conformar-me às opiniões de homens não poderia ser servo de Cristo.” Gl 1:10

Eu também procuro agradar só a Deus. Se eu me preocupar com o que os outros pensam de mim e agir de acordo com isso, eu não posso ser serva de Deus.

Mas atenção: eu não disse que consigo sempre. Eu disse que procuro, tento, esforço-me por isso. E cada vez mais consigo mais vezes. É Deus a agir no meu interior. É o Espírito a moldar-me.

Estas palavras de Paulo parecem exageradas. Mais uma vez me lembro das palavras dos discípulos: “Que palavras tão duras, quem as poderá suportar?”
É por serem duras que o caminho é estreito e, ao contrário do que se pensa e diz, o caminho largo não está só cheio de pessoas perdidas, sem Cristo. Não, está cheio de cristãos, crentes que acham que a mensagem de Cristo é muito dura. Não a podem suportar.

Sinto no meu interior uma necessidade de viver livre e despreocupada com o que os outros pensam de mim. Peço a Deus que me dê a ousadia de viver apenas aquilo que Ele quer que eu viva, e não aquilo que eu sei que vai agradar aos outros.

Se os outros querem que eu diga palavras bonitas e no meu interior eu tenho palavras de exortação, eu vou exortar.

Se os outros querem um puxão de orelhas e eu sinto no meu interior palavras de conforto, eu vou confortar.

Deus, um dia, mostrou-me que as seguintes palavras são para mim, estão relacionadas com aquilo que Ele quer que eu faça:

“Clamem, com uma voz como de trompeta; denunciem claramente ao meu povo todos os seus pecados! Porque eles pretendem dar uma aparência de piedade, de religiosidade! Vêm todos os dias ao templo e quem os vê parece que estão deleitados a ouvir a leitura das minhas leis, como se quisessem sinceramente obedecer-lhes, como se não desprezassem de forma nenhuma os mandamentos do seu Deus! Julgar-se-ia até que estão ansiosos por cumprir correctamente os preceitos de adoração. Oh! Como dão a impressão de amar os serviços do templo!” Sl 58:1,2

É o que está no meu coração. E não são coisas agradáveis de se dizer, quando se calhar uma multidão de pessoas pensa e sente o contrário. Pensam que está tudo bem. Todos parecem muito religiosos, muito interessados, muito espirituais. Dão a impressão. Apenas. Basta ter um pouco de discernimento do alto para entender isso. Até um cego consegue ver.

Não gosto de apontar o dedo à Igreja. Não me identifico com o tipo de pessoas que apenas critica e nada faz. O seu discurso é destrutivo apenas. Talvez o meu também seja interpretado da mesma forma, mas o que eu sinto no meu coração quando falo destas coisas é algo muito grande e forte que foi colocado cá dentro pelo próprio Deus. Faz parte da minha missão. E é algo que eu não quero desprezar.

Tento, procuro não desprezar, porque a minha missão é ingrata, mal aceite, não é politicamente correcta. Muitas vezes penso que se eu dissesse tudo o que me surge no meu coração, seria apedrejada até à morte pelos cristãos.

É por isso que não me contento mais com “aparência de religião”. Mesmo quando se fazem coisas que nunca se fizeram antes na Igreja, muitas delas são também “aparência de religião”.

Não é preciso inventarmos nada de novo. Basta vivermos como Cristo. O que Cristo viveu. Cada vez mexe mais comigo o facto de Deus me querer moldar à imagem do Seu Filho, de tal forma que quem olhar não vai notar muita diferença entre um e outro.

Não penso que já atingi isso, mas prossigo para o alvo. É esse o meu objectivo de vida.

E com os meus olhos, eu posso ver o Espírito de Deus a agir na Igreja. Não surgiriam palavras de condenação sem a mudança aparecer depois. Não em todos. Mas nos escolhidos.

Quem sou eu para dizer estas coisas?

“Eu, Paulo, chamado para ser apóstolo, não por qualquer organização ou autoridade humanas, mas por Jesus Cristo e por Deus o Pai, que ressuscitou Jesus da morte.” Gl 1:1

Simplesmente alguém que Deus chamou. Não uma organização ou pessoa alguma. "Apenas" Deus.

Ao Deus desconhecido

Nos últimos tempos penso muito: “Será que sou eu que estou mal?”

Tenho-me sentido, cada vez mais, como um soldado no meio de milhões de soldados, todos a andar com o mesmo passo, menos eu. Eu ando com o passo trocado. Não ando ao mesmo tempo que eles nem quero andar. Mas eles são tantos que eu questiono-me: “Será que o mal está em mim? Será que estou a ser muito radical? Será que sou eu que estou cega?”

Estou no meio de uma multidão de cristãos entusiasmados e eu não sinto o mesmo entusiasmo que eles. Enquanto eles se alegram nos seus feitos, eu penso: “Onde está Deus no meio de tudo isto?”

Enquanto eles alegremente levantam as suas mãos, eu baixo a minha cabeça em sinal de tristeza por sentir que se fazem coisas EM NOME de Deus, PARA Deus, mas não COM Deus.

Diz-se com uma facilidade que me incomoda: “Isto não é um sonho meu, é um sonho de Deus.”

No mesmo momento surge no meu coração: “Como sabes isso? Deus revelou-te? Quanto tempo passaste conversando com Ele sobre isso? Como surgiu isso no meu coração?” E peço perdão a Deus se estou a ser injusta e a julgar o meu irmão. Afinal… quem sou eu para julgar seja o que for?

Nesses momentos tenho a sensação (não lhe chamo de “certeza” para não parecer muito sábia ou convencida) de que aquela multidão pensa que está tocada por Deus, sente entusiasmo carnal (que atribui a Deus), e pensa que está a produzir-se uma mudança efectiva no seu interior. Quer experimentar Deus mas não O conhece. Quer viver coisas novas, experiências, mas na solidão da sua casa aborrece-se de buscar esse mesmo Deus. Anseia por Ele, mas não O procura, pensando que Ele está mais presente nos eventos, nos acontecimentos do que nas ruas, do que na sua casa, do que na sua escola, no seu trabalho.

Vivem no engano. Os filhos de Deus vivem no engano. Cegos, rotos, nus. E enquanto buscarem Deus como se Ele estivesse mais num lugar do que noutro, não O vão encontrar. Podem viver momentos em que acham que chegaram mais perto, em que acham que agora sim, conseguem adorá-Lo de uma forma que faz com que se sintam bem (sim, porque o sentimento, apesar de parecer muito espiritual, é puro egoísmo).

Como essas experiências, esses momentos não contém a essência de Deus, tudo o que eles produziram vai passar. Vai-se desvanecer. E o sentimento de preenchimento interior e espiritual que produziu vai, novamente, dar lugar a uma insatisfação, aquela de antes, aquela que ainda não desapareceu, apenas foi mascarada.

Enquanto os filhos não se encontrarem com o Pai, dependerão das pessoas, dos acontecimentos, dos eventos para se sentirem um pouco mais perto do céu.

Quando os filhos já regressaram à casa do Pai, pouco importam os acontecimentos, pouco importam as pessoas, pois a voz de Deus se faz ouvir mesmo quando a pessoa mais incrédula fala. O Espírito Santo flui e toca mesmo no meio do deserto.

Isso sim é relacionamento real. E este relacionamento real produz sentimentos que não passam, mas esses sim, criam raízes. E no meio da tempestade, onde não existem eventos, pessoas “ungidas”, exortações entusiasmadas, a voz e a presença de Deus continuam lá. Afinal, só Ele pode curar as feridas, ajudar-nos a ulrrapassar os traumas, a viver uma vida alegre.

O resto… não passa de entusiasmo carnal. Passa, é levado pelo vento como uma folha num dia de tempestade. Foi e já passou.

Se a solução estivesse aí, o mundo já estava todo mudado, evangelizado. Viveríamos o maior avivamento da história.

Um texto surge no meu coração:

“Estou farto dos vossos sacrifícios. Não quero mais gordura de carneiros. Não quero ver mais o sangue dos vossos holocaustos. Quem é que vos pede sacrifícios quando vocês não se sentem abatidos pelos vossos pecados?” Isaías 1:11,12

São palavras duras. Quem as poderá suportar?

Ouve

Ouve, ó Deus, a minha oração, mesmo aquela que não sai dos meus lábios, mas apenas do meu coração.

Que os Teus ouvidos ouçam mesmo a minha súplica!

Escuta-me e responde-me. Espero pela Tua resposta.

Desce para receberes a minha queixa e fazeres alguma coisa.

O meu coração está apertado e cheio de tristeza. É como se o terror da morte tivesse caído sobre mim.

Quem me dera ter asas, pois voaria com quem amo para longe daqui. Lá eu saberia que estaria tudo bem. Não haveria mais dor, mais sofrimento. Eu saberia que estaria tudo bem. No Teu abrigo.

À tarde, de manhã e ao meio-dia falarei contigo. Levarei a minha queixa ao Teu altar e ficarei à espera que me respondas. Aguardo a hora com a resposta que eu anseio.

Ouço o meu coração dizer:

"Deixa os teus cuidados ao Senhor e Ele te fortalecerá, pois não deixará cair os que Lhe obedecem."

E quero seguir o que o meu coração diz, porque quem me diz é quem lá está: O Espírito Santo.


Baseado no Salmo 55

Fundido na Natureza


Há uma religião que crê que Deus é a Natureza ou que a Natureza é Deus.

Seja como fôr.
Eu creio em algo parecido. Não que a Natureza seja Deus mas que ela tem uma relação muito especial com Deus.
Creio que Deus deu um toque muito especial à Natureza e que Ele mesmo está presente nela. Se assim não fosse, como se explicaria o efeito que a Natureza tem em nós? É algo espectacular.
Hoje mesmo tive oportunidade de contemplar o mar logo pela manhã. A Paz que eu senti, no meio de um interior atribulado, não se explica. É a tal paz que excede todo o entendimento, toda a explicação. E engraçado que eu nem orei nesse momento.
É Deus presente na Sua criação e a Sua presença, quando é mesmo verdadeira, traz paz.
Estou mais ou menos como Gandhi.
Ele disse que virou as costas ao cristianismo porque o último cristão morreu à dois mil anos atrás. Eu não creio nisso pois conheço pessoas que são verdadeiramente discípulas de Cristo (não são muitas, realmente...) mas o sentimento que tenho muitas vezes talvez seja parecido ao dele.
Deus está vivo. A Sua Natureza comprova isso e cada vez mais quero ser abençoada por Ele através dela. Tenho muito a aprender com o que Deus desenhou em cada árvore, em cada pássaro, em cada bebé (que ainda é totalmente genuíno).

Filhos e enteados



Vi este cartoon e ri sozinha. Foi a minha primeira reacção.

Mas depois perdi a vontade de rir porque me lembrei do quanto os crentes colocam uns mais acima do que outros.

Se o Benny Hinn impuser as mãos sobre mim serei curada. E aí, se ele falhar, só mesmo o André Valadão.

Se a Ana Paula Valadão fosse da minha Igreja, ela não estaria morta.

Eu ainda não me sinto tão perto de Deus como gostaria porque não vivo no Brasil e ainda não caí quando oraram por mim. Sim, porque em Portugal Deus não age da mesma forma. Não, aqui Ele é limitado.

Se eu fosse da Igreja tal, eu seria uma pessoa mais ungida, mais íntima de Deus.

Ai, ai... *suspiro*

Como se diz aqui no Algarve, "MOSS, deixem-se disso!"

Todos nós temos acesso ao TRONO DA GRAÇA, à intimidade verdadeira.

Todos nós somos Filhos e neste relacionamento com o Pai não há preferidos.

Não há filhos e enteados.

Então, por favor, não vivam como se fossem uns desgraçadinhos, uns imperfeitos, uns carnais, olhando para os outros, os "tais"como se a unção de Deus se esgotasse neles.

Quem diz que Deus tem de ter para ti neste momento o mesmo que tem para eles?

Será que essas pessoas que tanto metes num pedestal são necessárias para Deus?

São apenas filhos amados, tal como tu. "Apenas"

Como Paulo disse a Timóteo, eu te digo a ti: "Por favor, não desprezes o dom que está em ti, que recebeste ou não por imposição de mãos"

Se alguém não concorda, manifeste-se! He he

Movimentações espirituais


A minha luta não é contra a carne ou o sangue.

Agradeço tanto ao Espírito Santo de Deus por habitar em mim... Ele é Deus vivo em mim, aqui mesmo, corre no meu sangue, nas minhas veias, sinto-o na minha pele.
É o Espírito do Cristo que eu amo, faz-me lembrar tanto as Suas palavras e ensina-me os caminhos para chegar à verdade.
Neste momento estou no meio de uma batalha e a minha carne faz-me olhar apenas para o plano humano. Enquanto eu olho assim, eu sinto-me extremamente injustiçada, injuriada, incompreendida, abatida e entristecida, zangada e magoada com algumas pessoas. De coração ferido.

Satanás sabe que a forma mais certeira para as suas setas me atingirem é usando as pessoas que estão à minha volta. Eu fico muito atingida com isso e isso tem poder suficiente para me fazer desistir de muita coisa. Sou, de facto, muito fraca de ânimo e motivação.

Mas é aí que entra o Espírito Santo que habita em mim, que me ungiu e enviou. Que me dá a vitória! É Ele que me dá a ousadia para gritar, não para essas pessoas mas para Satanás: "Não penses que é com isto que me vences!" Só com a ousadia do Espírito eu posso dizer isso, pois se fosse por mim, Satanás nem precisava de me rondar para eu ser uma vencida. A minha carne chegava.

Mas a nossa luta não é contra as pessoas. E eu agradeço muito ao Espírito por me falar de uma forma tão clara essa verdade. Ele, verdadeiramente, me dá discernimento sobre o que se passa, sempre que eu busco. É como se deixasse de ver a situação concreta e passasse a ver as mesmas movimentações ao nível espiritual.
E isso dá-me uma perspectiva nova das coisas. Afinal o que se passa não é um problema com as pessoas. São as potestades que me rondam.
Então, eu invoco o Senhor, que é digno do meu louvor, SÓ ELE!!! E é Ele que me salva dos meus inimigos espirituais. E Ele já respondeu uma parte: está a levantar-me, a fazer-me forte no meio de tudo isto.
Agora aguardo a Sua acção e estou curiosa, à espera de ver o que é que Ele vai fazer, estando eu quieta no meu canto.
Não tarda e esses meus inimigos estarão, no nome de Jesus, alcançados, pisados e derrotados.
Obrigada, Espírito Santo de Deus, por seres tão real no meu ser. Quero conhecer-te mais e ser mais dirigida por Ti.

Aos queridos da minha vida


Vocês enchem a minha vida, sobretudo o meu coração. Com vocês eu aprendi a amar. Perdidamente. Pois através de vocês Deus tem feito o amor nascer, desabrochar e crescer em mim.

Através de vocês eu aprendi a rir, a soltar gargalhadas, a divertir-me, a contemplar amorosamente. Também aprendi a chorar com propósito, a prostrar-me diante de Deus em lágrimas e de coração partido por não saber o que fazer.

Vocês fazem-me feliz, completa, preenchida. Aconchegada é a palavra certa *sorriso* e só Deus conhece a intensidade com que desejo ter-vos vivos até o fim da minha vida. Só Deus sabe e eu espero n’Ele. Se assim não for, Ele me consolará.

Meu amado: como tu sabes, não há palavras suficientes para descrever o que tens sido para mim e a tua pessoa. Não há outro homem no mundo igual a ti e só a ti eu poderia amar assim desta forma tão profunda. Eu sou do meu amado e ele é meu. Simplesmente.
Ao contrário do que me diziam (pobres pessoas, frustradas com a sua vida e com as suas relações), cada vez te amo mais e cada vez me sinto mais amada por ti. A nossa cumplicidade é grande e por vezes basta um olhar teu, um abraço teu para me encher o coração… quanto mais com todas as coisas que me dás. Sou muito feliz ao teu lado. Cada vez o nosso amor está mais forte, tão forte que, por vezes, basta eu pensar em ti e naquilo que tu és que me sinto logo diferente… A unção de Deus está sobre ti, meu querido.
E é amar-te assim, perdidamente, e é seres alma e sangue e vida em mim, e dizê-lo cantando a toda a gente… Verdadeiramente somos um, sentimos um. You’re still the one.

Minha querida filha: também não há palavras suficientes para poder expressar tudo o que tens acrescentado à minha vida. Fazes-me sorrir tanto… és tão meiguinha, já desde pequenina. Que nunca deixes roubar isso do teu coração, filha, mas que Deus acrescente ainda mais essa meiguice ao teu coração, pois ela agrada-nos muito e sei que também faz Deus sorrir. Foi Ele que te criou assim. O meu coração aperta muitas vezes por ti, mas eu sei que Deus está a cuidar de ti com umas mãos tão carinhosas… já estás a tornar-te forte, mesmo sem saberes, mesmo quando choras, mesmo quando sofres. Ainda estavas no meu ventre quando há 1 ano atrás Deus me mostrou que tu O verás por causa do teu coração puro, e levarás ao mundo o amor pela tua adoração genuína. Que assim escolhas e que o Pai te leve lá. Amo-te tanto, minha borreguinha…

Sim, também tu mereces estar aqui, raposinha de cauda dourada, porque também te considero minha família, dentro do meu coração, tu e os teus. Agradeço-vos por fazerem parte de mim. Também vocês têm enchido muito o meu coração e através da vossa vida Deus mostrou-me, ou melhor, mostrou-nos que afinal é possível viver o amor como eu o tinha guardado no meu coração. Obrigada por isso, por serem uma inspiração para nós. Sempre o foram e sei que não deixarão de o ser nunca. Tu, especialmente, desde que entraste no meu coração, nunca mais saíste. O meu silêncio interior perante ti deve-se à forma como estou nos últimos tempos… tempos de introspecção, não necessariamente maus… Mas o meu amor por ti, apesar da minha distância interior, cresce de dia para dia, mais do que possas imaginar *piscadela de olho*. Tu és única e, se calhar ao contrário de alguns, eu amo-te exactamente como tu és, amo a forma apaixonada como vives, como te expressas, a forma como te emocionas e como sentes todas as coisas. És uma pessoa tão bonita…. Um milagre vivo de Deus… Amo-te.

Obrigada, Pai, por estes 29 anos de vida. Tu és o meu maior amor e desejo viver cada dia declarando-Te todo o meu amor e dedicando-Te todo o meu ser.

Abba Pai.

Pequena ungida

Tal como o meu nome significa, sou pequena.

Paula = pequena

Hoje sinto-me como Paulo. Ele considerava-se o mais pequeno dos apóstolos. Eu hoje sinto-me o mais pequeno dos cristãos.

O meu segundo nome é Cristina, que significa "ungida".

Sou uma "pequena ungida"... cada vez mais me espanta o facto de Deus, mesmo sabendo como eu sou, me ungir, me amar, não desistir de mim. Se Ele fosse como eu ou como nós, já me tinha virado as costas há muito tempo.

Há dias em que tenho de fazer o esforço para me lembrar de que não me chamo só Paula.

Sou Paula Cristina. Pequena mas ungida.

Páscoa sem Igreja

E foi uma das Páscoas mais abençoadas...

A sós porque, enquanto decorria o culto nas instalações da "Igreja" que frequento, eu não estava lá... estava do lado de fora, com a minha filha nos braços, com dores, a dormir.

Gostei muito, pois pude estar só eu e Aquele que morreu e ressuscitou, não o Cristo que pregam mas o Cristo que ando a conhecer, dia após dia.

Pude falar com Ele, pude ser abençoada pelos pássaros que voavam à minha frente, pelo vento que batia nas árvores e fazia aquele som tão apaziguador.

Ao mesmo tempo que vivia um momento íntimo com o meu Amado, ouvia ao longe a música, os cânticos, as pessoas vazias, cheias de problemas, sem discernimento acerca de Deus, mas ali... sem saber o que estavam a fazer, sem encontrar uma solução VERDADEIRA para as suas vidas, sem experimentar um amor tão belo...

É assim a maioria dos crentes de hoje em dia... Tristes, abatidos e apáticos, porque a IDEIA DE CRISTO não muda ninguém, por mais que nos esforcemos. Só o relacionamento REAL com Ele. Mas por mais que se fale de relacionamento, quando alguém fala da forma real como Deus se manifesta, quase todos estranham e criticam. Simplesmente porque essas pessoas não estão habituadas a Deus relacionar-se.

Com todas estas coisas ardendo no coração, orei... orei por aquelas pessoas e Deus confirmou no meu coração: "Sim, eu estou a avivar pessoas."

O engraçado foi que, passado umas horas, estive com um crente que me disse: "Não há avivamento!"

Para mim, foi mais do que uma confirmação de que Deus está a avivar pessoas e a revelar-se de verdade. A oposição só acontece quando algo é real.

Como?

"O Senhor é a minha rocha, fortaleza e protecção; o meu Deus é o abrigo em que me refugio. Ele é o meu escudo, a minha defesa, o meu castelo.
Invoco o Senhor, que é digno de louvor. É Ele que me salva dos meus inimigos." Sl 18:3,4


Como Te posso experimentar como a minha rocha se não estiver em cima dela quando tudo à minha volta rui?

Como posso saber que Tu és a minha fortaleza e protecção se humanamente não estiver exposta aos ataques, se não houver um inimigo que dispara contra mim? Para me sentir protegida por Ti tenho de estar humanamente desprotegida.

Como posso abrigar-me em Ti se o tempo à minha volta não for de tempestade? Se fosse sempre Verão, não sentiria necessidade de me abrigar. Estaria tudo bem.

Como posso sentir o Teu escudo invisível mas real se não estiver a ser atacada, estando eu desarmada? De outra forma, eu não veria as setas a fazerem ricochete e não me atingirem... o Teu escudo está aqui.

Como poderei saber que és o meu castelo, onde os Teus anjos que me servem são como sentinelas, vigiando, protegendo-me em altura de batalha?

Só a Ti posso invocar. Só a Ti, Tu que és digno de receber o meu louvor. Não que o meu louvor seja alguma coisa de especial, mas eu desejo de todo o coração louvar-Te, na alegria ou na dor e eu sei que isso Te alegra.

Quem invocaria se só Tu podes salvar-me dos meus inimigos? Só Tu, Jesus, meu amado, meu amor. Só Tu, só Tu.

Obrigada por tudo o que vivo. Se não fosses tu, a alegria não chegaria pela manhã... mas ela sempre chega *sorriso*... mesmo quando a noite dura mais do que uma noite... mas a manhã também é, por vezes, mais duradoura que uma manhã.

Obrigada porque só no meio das provações eu posso experimentar o Teu braço de guerra e o Teu braço de amor sobre mim.

Tu, que lês estas palavras neste momento, crê: o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã, ainda que possas continuar a ter razões para chorar. Mas a mudança pode surgir no teu interior e, pode até acontecer que, quando deixares de pedir a Deus que mude as circunstâncias e te esqueças disso, Ele decide fazer algo.

O Seu braço não está curto, os seus ouvidos não estão surdos. O Seu poder é hoje o mesmo e o Seu amor também.

Egoísmo

Ultimamente tenho pensado no versículo de Provérbios que diz que devemos tratar os outros como gostaríamos que eles nos tratassem.

Sinceramente procuro viver isso na minha vida. Muitas vezes não consigo, muitas vezes falho, mas outras tantas vezes eu o faço. É Deus quem me dá a capacidade.

Se eu desejo que os outros se importem comigo, eu vou importar-me com eles, genuinamente e não de forma interesseira, esperando receber algo em troca se for simpática.

Genuinamente... ora aí está...

Muitas vezes até parece que nos importamos com os outros mas por detrás disso está o sentimento de querer receber algo em troca, nem que seja um "obrigado" que nos faz sentir bem, aceites, queridos.

Se pesarmos bem as nossas intenções, vamos ver o quão interesseiras elas são num grande número de vezes...

Não me estou a excluir de tudo o que escrevo, mas muitas vezes entristeço-me de olhar à minha volta e sentir-me rodeada de pessoas assim.

Sinto falta e saudades de ver pessoas genuínas...

Pessoas como Cristo.

Cristo devia primeiro querer saber como "correu o dia" de alguém com quem ele lidava, em vez de querer logo contar coisas suas, ser ouvido, ser amado.

Cristo foi, muitas vezes, "usado" pelas pessoas, pessoas que apenas o procuravam para receber algo, algo PARA ELAS. Quantas e quantas vezes ele, como pessoa, terá sido ignorado.

Quantas vezes lhe terão perguntado: "Estás cansado?", "Precisas de algo?" Muito poucas, eu acho.

Cristo preocupava-se genuinamente com as pessoas. Não havia por detrás das suas atitudes a necessidade de se afirmar, de ser amado. Afinal... Ele veio para servir, para dar a Sua vida, oferecer-se, completamente, de corpo e emoções.

Sou desafiada a viver da mesma forma, independentemente do interesse ou cuidado dos outros por mim.

Afinal, eu nasci de novo para poder dar a minha vida em favor dos que me rodeiam. Que privilégio e que missão difícil. Sinto-me, muitas vezes, como os profetas no Antigo Testamento. Sozinhos no meio da multidão, "apenas" com Deus.

Deus, és o amante de todo o meu ser.

Nada de livros...

Uma mulher muito usada por Deus para ministrar cura divina (Katherin Kullman), disse o seguinte:

"Nunca li livros sobre cura divina. Quero que a minha mente seja um canal limpo, puro, do poder do Espírito Santo."

Achei muito interessante esta posição dela.

Quantas vezes olho para as pessoas, hoje em dia, e vejo uma sede de seguirem determinadas pessoas que são "muito ungidas", pensando que com elas as coisas vão acontecer, o fogo vai descer.

Esta mulher é um exemplo para mim porque viveu de uma forma completamente contrária a tudo isto, a esta ânsia que eu vejo ao meu redor.

Questionada sobre tudo o que acontecia por seu intermédio, ela sempre disse que nada tinha a ver com as curas que aconteciam, que ela própria se admirava e alegrava, que o responsável era única e somente o Espírito Santo.

Admiro o seu coração.

Quero ter um igual. Um coração que quer depender apenas de Deus, ser dirigido apenas pelo Espírito. Não pelas opiniões dos outros, não pelo que eu própria penso, mas pelo ESPÍRITO SANTO.

Às vezes agarramo-nos muito às escolas, aos institutos bíblicos, e parece que estamos a dizer, com essa nossa atitude, que Deus precisa de determinadas pessoas ou conhecimentos para agir.

Deus não é limitado e ponto final.

Também quero ser um canal limpo onde o Espírito flui sem interferências exteriores.

Provada pelo fogo

Engraçado como as dificuldades me fazem olhar para Deus e para a Bíblia de outra forma.

Quando passamos por momentos difíceis, por tempos de aperto, todos os clichés espirituais a que estamos habituados parecem perder o sentido, parecem ser vazios.

E são mesmo. É uma altura de questionar as coisas. E questionar, ao contrário do que me ensinaram, para mim é algo muito bom. Leva-me a buscar mais, a procurar mais, a meditar mais e a acabar por entender as coisas com uma outra profundidade.

Depois de viver tempos num auge espiritual tão grande, vivo agora tempos em que Deus me coloca à prova, tempos em que posso aperceber-me da profundidade ou não das minhas crenças.

Da profundidade ou não da minha intimidade com Ele.

Há dias em que se estivesse na situação de Job, eu pecaria. Eu amaldiçoaria Deus, pois há dias em que eu não consigo entender o porquê de algumas coisas que Deus permite continuamente na minha vida.

Mas há dias em que, venha o que vier, sei que Ele é Rei sobre tudo, sobre todas as coisas, sobre todas as dificuldades. Nada Lhe escapa. É o Seu Espírito que está mais forte em mim, mais presente. E só esse Espírito nos pode dar alguma alegria e força perante situações difíceis.

Não é a força de vontade, não é a mentalização, não é nada que resulte do nosso esforço humano. Nada disso nos pode ajudar. Até o facto de tomarmos posse de algo tem de ser feito com uma fé e direcção que não vêem de nós.

Nós, seres humanos, somos de facto fracos. É da nossa natureza nos entristecermos quando as coisas não correm como pensamos, é natureza nossa o facto de sermos orgulhosos, de pouca motivação, inconstantes, indecisos. Uns mais que outros, de facto, mas todos somos assim.

"Preciso de Ti", deveria ser a frase mais dita por mim.

E por ti também, estejas ou não a passar por dificuldades. Porque até nos momentos alegres, precisamos de Deus.

O silêncio, mais uma vez

Ultimamente sinto-me em silêncio.

Para algumas pessoas poderá ser sinal de que não estou bem.

Para mim é apenas um "estar diferente".

Continuo a meditar nas seguintes palavras de Jeremias, um melancólico nato, tal como eu:


"É bom para o jovem estar sob disciplina. Porque fá-lo sentar-se solitário, em silêncio, sob o controlo do Senhor, inclinar o seu rosto para o chão, para o pó da terra." Lm 3: 27,28

Quando li este versículo senti-me contente. Contente por ver que há algo escrito na Bíblia sobre o que eu sinto quando passo por dificuldades: vontade de me calar, de me sentar solitária, em silêncio. Muitas vezes, quando este sentimento é exagerado, não é bom mas quando esse sentimento é causado pelo Senhor, é muito produtivo.

Leva a que incline o meu rosto para o chão... e nunca inclinei o meu rosto para o chão, para o pó da terra, quando estou contente.

Não. Eu inclino o meu rosto quando me sinto mal, quando estou triste, quando algo pesa no meu coração, quando algo me preocupa, quando algo me aflige.

Eu nunca desejo esses momentos mas quando eles passam eu vejo o quão bons eles foram. E algumas vezes, no durante, eu também tenho consciência disso. Ou melhor, tenho sempre consciência de que aquilo que passo está a ser produtivo, mas por mim digo a Deus:

"Passa de mim este cálice."

A outra parte, a parte de dizer: "Mas faça-se a Tua vontade e não a minha." nem sempre é fácil de dizer, mas sobretudo de sentir nesses momentos.

Mas graças ao Espírito, algumas vezes eu digo isso.

A Bíblia diz que esse sentimento é bom, leva-nos a ver o nosso lugar, o quanto somos impotentes para alterar seja o que fôr neste mundo pela nossa força. Leva-nos a dizer, com todo o coração: "Pai, eu preciso de Ti..."

Como está escrito no Salmo da minha família (33):

"Não há exército, por mais bem armado que esteja, que possa garantir a salvação até de um chefe de estado. O ter muita força não livra ninguém. Um cavalo de guerra vale muito pouco para proteger um indivíduo." Sl 33:16,17

Não existem soluções humanas para o meu e teu problema. Por mais força ou eficácia que possam parecer ter. Quando Deus não está nessas soluções, tudo é vão.

Aleluia porque o nosso livramento está no Senhor. Podemos erguer os nossos olhos para os montes, procurando, e encontrar a salvação apenas no Senhor.

Apenas no Senhor...

Sem palavras...

O Senhor é bom para os que esperam n'Ele, para os que O buscam. É bom ter esperança e aguardar calmamente a salvação do Senhor.

É bom para o jovem estar sob disciplina. Porque fá-lo sentar-se solitário, em silêncio, sob o controlo do Senhor, inclinar o rosto para o chão, para o pó da terra.

Então, no fim, haverá esperança para ele. Que aprenda a dar a outra face a quem o fere, que saiba enfrentar a afronta.


Lamentações 3:27-30

O tempo

Pensando em Jesus, alguma vez Ele negou algo a alguém que o procurou?

Cura, consolo, palavras?

Até aos interesseiros dos leprosos Ele curou, tendo apenas um deles voltado atrás para Lhe agradecer e reconhecer que Ele era o Senhor.

Jesus é a imagem perfeita de Deus, logo as atitudes e os sentimentos que Ele tinha correspondem 100% à forma como Deus age e sente. Eu olho para Ele e compreendo melhor quem o Pai é.

Um destes dias pensava com Ele acerca da seguinte passagem:

"Meus irmãos, considerem-se felizes quando tiverem de passar por provações. Porque se a vossa fé for posta à prova, tornar-se-á mais perseverante. Que ela resista até ao fim, e assim a vossa formação se completará, com uma conduta íntegra, e serão maduros espiritualmente." Tg 1:2-4

Estes versículos fazem sentido para mim e têm-se cumprido em mim nos últimos meses. Realmente a minha fé tem sido posta à prova e sei que tem sido produzida em mim mais paciência, mais humildade, mais amadurecimento. E isso tem sido muito bom.

Mas... pensava neste verso e ao mesmo tempo em Jesus e parecia que as duas coisas não combinavam.

Tiago diz-me para ter paciência mas ao olhar para Jesus eu vejo Jesus a responder a todas as solicitações que lhe faziam. Diz a Palavra que Ele curava TODOS os doentes, acalmava TODOS os corações na hora, a ninguém negava atenção, nem às crianças.

Tiago diz: "Espera", mas olho para Jesus e vejo-O a dar uma solução imediata às pessoas.

Estarei enganada na imagem que tenho de Jesus? Talvez, mas é o que me mais me salta à vista.

Até que o próprio Deus me leva à mente a situação da morte de Lázaro.

Jesus, amigo de Lázaro e da família, soube que Lázaro estava doente, quase a morrer, e ficou uns quantos dias onde estava. Parece que não ligou, não se importou, só se dignou a deslocar-se lá depois e ainda por cima quando lá chegou, já ele tinha sido colocado no túmulo havia uma série de dias.

Admiro a atitude de Marta ao ter ido ter com Ele quando soube que FINALMENTE Ele estava a chegar... Se fosse eu, ficaria em casa, no meu canto, a pensar: "AGORA é que chegas? Agora é tarde..."

E acho que este sentimento faria com que não fosse ter com Ele, com que não O buscasse mais. Se calhar quando o visse, não O encararia muito bem, pelo menos não com o mesmo sentimento de antes...

É assim o meu coração... por vezes desilude-se facilmente. Mas senti-me muito confortada com esta história que conhecia já tão bem... uma das poucas histórias em que vejo que JEsus não deu uma situação imediata a algo.

E todos os sentimentos que Jesus teve antes de ressuscitar Lázaro encheram o meu coração de consolo. Ele ficou muito perturbado com o sofrimento daquela família, emocionou-se profundamente, mesmo sabendo que Lázaro iria ressuscitar...

O meu Jesus é sensível, o meu Deus é sensível ao meu e ao teu clamor, mesmo que a minha ou a tua situação seja como a de Lázaro e não como a dos leprosos.

Somos previlegiados por termos de esperar pela resposta. Está a ser produzida paciência em nós...

Ainda não é desta

Olá a todos.

Ainda não acabei com o blog, hihi, mas simplesmente não tenho nada para dizer.

A minha alma está calada, em silêncio perante o Senhor. Assim, mais vale estar calada do que falar daquilo que não sinto ou vivo.

Assim que tenha algo para compartilhar, voltarei.

Deus vos abençoe e guarde

Arquivo