Como um bebé de colo

No início deste ano escrevi um artigo onde declarei publicamente que, fosse na alegria ou na dor, cumpriria o chamado de Deus para mim, o chamado de caminhar com Ele ao meu lado.

Se há muitos artigos que eu escrevo para mim própria, este foi um deles. E agora, neste momento, eu posso olhar para as minhas próprias palavras e sei que a minha decisão se mantém.

Na alegria ou na dor... o Teu Espírito me consolará...

Porque Tu não mudas para mim... o Teu amor não muda, eu é que mudo, as pessoas podem mudar, as circunstâncias podem mudar, mas eu sei que o Teu amor por mim não muda. Tu amas-me, simplesmente.

"Não fiquem calados os que lembram Jerusalém ao Senhor, não tenham qualquer respouso." Is 62:6b

E, Pai, Tu sabes o quanto eu sinto vontade de me calar nestes momentos, como eu olho para o meu coração, para os que me rodeiam e penso: "Não, sem isto eu não vou conseguir..."

E quantas e quantas vezes isto me fez parar... porque dói demasiado, custa-me, pois Tu me deste um coração sensível... às vezes sensível até demais, aos meus olhos. E muitas vezes é o meu próprio coração que me faz calar, e não mais Te lembrar de Jerusalém... Muitas vezes eu repouso, descanso, mas eu não quero que o que sinto me impeça mais de falar, constantemente, de Jerusalém a Ti.

Pelo amor que Tu tens por mim, eu não me calarei. Umas vezes falarei com sorrisos, mas sei que também muitas vezes falarei com lágrimas. Mas nunca estarei sozinha, porque Tu estás comigo.


"Ó Senhor, não sou orgulhoso; não olho com desprezo para outras pessoas nem procuro fazer-me entendido em coisas muito difíceis e grandiosas. Pelo contrário! O meu coração está calmo e tranquilo, como um bebé depois de ser alimentado pela mãe. Acalmei o meu coração e fiquei em paz." Sl 131:1,2

E, Pai, faço destas palavras a minha oração a Ti. Tu sabes que não me importa ser entendida em coisas grandes, saber muito. Não!

O meu coração apenas deseja descansar no Teu peito, como um bebé que depende da mãe para tudo. E descansar em Paz. Dá-me esta paz e tranquilidade contigo e não Te pedirei nada mais até ao fim dos meus dias.

Obrigada, Pai, pelas bênçãos que tens derramado na minha vida.

Pelo meu amado, que é uma imagem humana do que Tu és para mim, que tantas e tantas vezes tens usado para consolar e encher o meu coração. Uma só alma...
Pelo fruto do nosso amor, que com a sua presença e vida já abençoa e continuará a abençoar a minha vida, pois é Teu amado, acima de tudo. Apesar de eu não saber como ele ou ela vai ser, eu sei que será um sinal para esta geração e um brasão do Teu amor derramado na Terra. Água na Terra seca...

E Tu sabes por quem mais eu Te agradeço, pelos efeitos em mim.

Faz do meu coração um Jardim Fechado. Fechado às feridas, às dores. Dependo de Ti, só de Ti e exclusivamente de Ti. Faz com que seja cada vez mais assim... Porque se não for assim, Tu sabes que eu me calarei, eu descansarei e não lembrarei mais Jerusalém diante de Ti.

Tu sabes como sou. E aqui deixo mais uma marca visível do meu compromisso contigo, meu Amado. Que sempre limpes as minhas lágrimas, sempre me abraces e sempre sorrias comigo.

Amén.

3 comentários:

Eliot D. Chambers disse...

Fazia tempo que eu não acessava, mas hoje vim e lembrei do quanto é bom acessar o blog de alguém com o coração totalmente rendido ao Senhor, como é o seu caso, Paula.

Continuemos correndo em direção a Ele. Só Ele tem as palavras de vida eterna. Que o nosso coração seja só dEle...

Ósculo santo pra ti, irmãzinha.
ps: Gostei do novo template.

Anónimo disse...

Que seja consoante o desejo do teu coração.
God bless you.
T.

Marlene Maravilha disse...

Gosto de ver e sentir pessoas que tentam depender unica e exclusivamente do Pai! Isso é lindo e fala muito comigo também.
Beijos e que Deus te abençoe minha irmã.