Promessas guardadas em mim


Não sei se sou só eu neste mundo, mas muitas vezes esqueço-me do que já vivi, das coisas que num determinado momento eram tão certas, tão verdadeiras na minha vida, e que depois, por um ou um conjunto de motivos, parece que puffff… desvanecem-se.

Certezas que antes eram mais que certas, mais que vividas, mais que experimentadas, mais que palpáveis, tornam-se distantes, irreais, desconhecidas, como se nunca tivessem sido vividas.

Estranho? Talvez, mas tem sido a realidade.

Tem sido tempo de voltar às promessas, tempo de mergulhar de novo, principalmente pela fé, porque pela vista não se avizinha nada. Nada de palpável, nada de visível, quando antes muitas coisas eram palpáveis e visíveis.

“Busca a tua felicidade no Senhor e Ele te concederá os desejos do teu coração.
Põe a tua vida nas mãos do Senhor e Ele te ajudará.”

Sl 37:3,4

Será possível a felicidade assim? Depois de já ter vivido e apalpado as mais diversas realidades espirituais? Não me parece. Porque Deus não dá e depois tira, quando o meu ou o nosso desejo não é esse, mas sim viver e viver cada vez mais com Ele.

Alguma razão haverá, e é provável que a causa não esteja do lado do Pai, mas do meu ou do teu, que vives o mesmo.

E aqui entram as promessas, que se cumprem, porque Ele não é homem para que minta:

“Paula, se queres de novo ser feliz comigo, busca a tua felicidade em mim e eu vou conceder-te aquilo que tu desejas no teu coração. Põe a tua vida nas minhas mãos e Eu vou ajudar-te.”

E a minha vida nas Suas mãos eu já coloquei e continuo a colocar, dia após dia, buscando a minha felicidade n’Ele, apesar de humanamente ter muitos motivos para estar feliz e alegre. Mas a felicidade humana é incompleta sem a felicidade espiritual, sem o toque d’Ele, ainda mais para quem já a experimentou. Quem não a experimentou, pensa que ela não é real, mas quem já a experimentou, sente a sua falta quando ela não está.


E outras palavras de David que me fazem sentir que algo em mim está diferente:

“As palavras do homem obediente são sábias; ele fala sempre com rectidão. Ele traz no coração a lei de Deus, por isso os seus passos são firmes.” Sl 37:30,31

Mais versículos que me fazem lembrar algo que eu não vivo de momento.

As minhas palavras já foram sábias e bem mais fluidas do que nos últimos tempos. Só Deus e o toque do Espírito podem fazer com que da minha boca saia sabedoria, palavras rectas.

Só a vivência próxima com Ele pode fazer sentir-me firmeza nos meus dias, pois essa não é a minha natureza. A minha natureza é instável, insegura, que tropeça com bem pouco, que se entristece com bem pouco.

Todos estes momentos são bons para me mostrar que eu nada sou sem Ele, e o tamanho do milagre que vivo quando estou ligada a Ele.

E nunca tendo deixado de O buscar, espero n’Ele, aguardo por Ele, pelo meu querido amado, que tantas e tantas vezes arrebatou o meu coração e tantas e tantas vezes me fez voar com Ele.

Aqui fica esta partilha. Não sei a razão, mas que Deus te abençoe a ti, tu que estás a viver algo parecido.

6 comentários:

Tinoca Laroca disse...

Venho desejar-te uma PASCOA CHEIA DA SUA LUZ!!!
GOD BLESS YOU.
T.

alealb disse...

passando pra te desejar uma páscoa cheia do amor do nosso Pai!
beijos,
alê

Ana disse...

"...tu que estás a viver algo parecido." =P

Só posso dizer que quando não estamos inteiramente em Deus, pelos tais motivos, tudo á volta se desiquilibra... n interessa o quê, interessa é que o nosso verdadeiro equilibri é Deus, e já não dá para viver sem Ele.

Sabes... tenho tido medo daquilo que me pode acontecer sem Deus!

***********

Joel disse...

Obrigado. Abençoou.
Deus te abrace maninha.

Fa menor disse...

Olá, Paula!
Nem sei como vim aqui parar ao teu blog, mas que foi bom para mim, lá isso foi mesmo!

Vou continuar a vir aqui.

Uma Santa Páscoa para ti e para os teus.

Fa-

Nova Evangelização disse...

* * *
Cara Paula

VISITA PASCAL

Faço os melhores votos de SANTA E FELIZ PÁSCOA para si, extensivamente à sua Família.

JESUS CRISTO RESSUSCITOU!
ALELUIA! ALELUIA! ALELUIA!


Cordiais saudações pascais.
José Mariano
*