Deus e os homens

Para mim a carta aos Gálatas é uma carta de libertação. Libertação de muitas coisas, mas a que me interessa agora especialmente é a libertação da opinião dos outros sobre a minha vida.

Por ser uma pessoa insegura por natureza, sempre me preocupou o que os outros pensavam de mim. E continua a preocupar.

Essa é uma necessidade básica do ser humano, dizem os psicólogos (aqueles que descobriram a pólvora que os filhos de Deus deviam ter descoberto há muito, apesar de muitas vezes estarem enganados).

Eu não lhe chamaria uma necessidade básica. Chamaria uma tendência da carne, pois Deus pede-me que contrarie isso.

“Procuro agradar não a pessoas mas a Deus. Se procurasse conformar-me às opiniões de homens não poderia ser servo de Cristo.” Gl 1:10

Eu também procuro agradar só a Deus. Se eu me preocupar com o que os outros pensam de mim e agir de acordo com isso, eu não posso ser serva de Deus.

Mas atenção: eu não disse que consigo sempre. Eu disse que procuro, tento, esforço-me por isso. E cada vez mais consigo mais vezes. É Deus a agir no meu interior. É o Espírito a moldar-me.

Estas palavras de Paulo parecem exageradas. Mais uma vez me lembro das palavras dos discípulos: “Que palavras tão duras, quem as poderá suportar?”
É por serem duras que o caminho é estreito e, ao contrário do que se pensa e diz, o caminho largo não está só cheio de pessoas perdidas, sem Cristo. Não, está cheio de cristãos, crentes que acham que a mensagem de Cristo é muito dura. Não a podem suportar.

Sinto no meu interior uma necessidade de viver livre e despreocupada com o que os outros pensam de mim. Peço a Deus que me dê a ousadia de viver apenas aquilo que Ele quer que eu viva, e não aquilo que eu sei que vai agradar aos outros.

Se os outros querem que eu diga palavras bonitas e no meu interior eu tenho palavras de exortação, eu vou exortar.

Se os outros querem um puxão de orelhas e eu sinto no meu interior palavras de conforto, eu vou confortar.

Deus, um dia, mostrou-me que as seguintes palavras são para mim, estão relacionadas com aquilo que Ele quer que eu faça:

“Clamem, com uma voz como de trompeta; denunciem claramente ao meu povo todos os seus pecados! Porque eles pretendem dar uma aparência de piedade, de religiosidade! Vêm todos os dias ao templo e quem os vê parece que estão deleitados a ouvir a leitura das minhas leis, como se quisessem sinceramente obedecer-lhes, como se não desprezassem de forma nenhuma os mandamentos do seu Deus! Julgar-se-ia até que estão ansiosos por cumprir correctamente os preceitos de adoração. Oh! Como dão a impressão de amar os serviços do templo!” Sl 58:1,2

É o que está no meu coração. E não são coisas agradáveis de se dizer, quando se calhar uma multidão de pessoas pensa e sente o contrário. Pensam que está tudo bem. Todos parecem muito religiosos, muito interessados, muito espirituais. Dão a impressão. Apenas. Basta ter um pouco de discernimento do alto para entender isso. Até um cego consegue ver.

Não gosto de apontar o dedo à Igreja. Não me identifico com o tipo de pessoas que apenas critica e nada faz. O seu discurso é destrutivo apenas. Talvez o meu também seja interpretado da mesma forma, mas o que eu sinto no meu coração quando falo destas coisas é algo muito grande e forte que foi colocado cá dentro pelo próprio Deus. Faz parte da minha missão. E é algo que eu não quero desprezar.

Tento, procuro não desprezar, porque a minha missão é ingrata, mal aceite, não é politicamente correcta. Muitas vezes penso que se eu dissesse tudo o que me surge no meu coração, seria apedrejada até à morte pelos cristãos.

É por isso que não me contento mais com “aparência de religião”. Mesmo quando se fazem coisas que nunca se fizeram antes na Igreja, muitas delas são também “aparência de religião”.

Não é preciso inventarmos nada de novo. Basta vivermos como Cristo. O que Cristo viveu. Cada vez mexe mais comigo o facto de Deus me querer moldar à imagem do Seu Filho, de tal forma que quem olhar não vai notar muita diferença entre um e outro.

Não penso que já atingi isso, mas prossigo para o alvo. É esse o meu objectivo de vida.

E com os meus olhos, eu posso ver o Espírito de Deus a agir na Igreja. Não surgiriam palavras de condenação sem a mudança aparecer depois. Não em todos. Mas nos escolhidos.

Quem sou eu para dizer estas coisas?

“Eu, Paulo, chamado para ser apóstolo, não por qualquer organização ou autoridade humanas, mas por Jesus Cristo e por Deus o Pai, que ressuscitou Jesus da morte.” Gl 1:1

Simplesmente alguém que Deus chamou. Não uma organização ou pessoa alguma. "Apenas" Deus.

5 comentários:

Noemi disse...

Olá Paulinha,
Um grande beijinho e abracinho para ti.
É engraçado como cada vez mais percebo o que tu dizes (e escreves)!!

Noemi

The pescador disse...

Religiões esses diversas, mas Jesus é a solução e não religiões, religiosidade não tem relacionamento com salvação, mas Jesus tem. Então o que o mundo precisa é de religiões, dogmas e liturgias??
Não o mundo precisa de Deus, de Jesus . E a igreja precisa de profetas, pessoas que sejam a "boca de Deus" e não bajuladores que dizem somente o que convém.
Deus abençoe

Ghernandes disse...

Religiões esses diversas, mas Jesus é a solução e não religiões, religiosidade não tem relacionamento com salvação, mas Jesus tem. Então o que o mundo precisa é de religiões, dogmas e liturgias??
Não o mundo precisa de Deus, de Jesus . E a igreja precisa de profetas, pessoas que sejam a "boca de Deus" e não bajuladores que dizem somente o que convém.
Deus abençoe

Lavrador disse...

Eu, Paulo, chamado para ser apóstolo, não por qualquer organização ou autoridade humanas, mas por Jesus Cristo e por Deus o Pai, que ressuscitou Jesus da morte.

O trabalho que estamos fazendo não tem apoio senão de Deus! Ele é o Único que nos dá coragem! Nem sei se a minha pequena igreja em Portugal ora por nós!
nenhuma missão nos enviou; nenhuma igreja não nos enviou...só Deus! É por isso que SÓ contamos com ELE!

luci disse...

que bom ter encontrado este site..
meu nome e missionaria luci
moro no estados unidos e faco seminarios em varias partes tenho meu proprio ministerio que se chama frutos de cura, sou afiliada pelo ministerio edify church de boston , queria disser que o senhor tem bencao para voces , e a liberacao desta posses sao a edificacao do espirito e tambem a pureza dos coracoes , quero dizer que voces sao importantes por nos ,por isto oro
se quiserem podem me enviar e-mail
frutosdecura@gmail.com
luci