Buscar, procurar, encontrar

Há alturas em que parece que Deus está silencioso...
Ele continua a amar, mas está silencioso.
David descreveu tantas vezes isso, esse sentimento...

Nos últimos dias, eu tenho sentido o Senhor silencioso comigo... Atento, olhando para mim, para cada passo meu, cada palavra minha, cada lágrima vertida, olhando com amor, mas no entanto... silencioso...

Eu tenho-O buscado, procurado, buscado, procurado... e no momento parecia que não iria ter efeito nenhum... Deus estava silencioso... MAS PORQUÊ? Porquê?..........

A imagem que vem à minha mente é a de um Pai amoroso, que por vezes permite que o seu filho(a) passe por determinadas situações, para que este fique ainda mais chegado a ele. O problema é que o filho não consegue ver como o pai vê, e por vezes não compreende o porquê da situação estar a acontecer.

Hoje o Senhor começou a quebrar o seu silêncio e eu fico contente com isso, porque eu nada sou sem o meu Senhor, sem a sua voz, sem a sua presença na minha vida. Eu sei que Ele não se ausentou e me deixou sozinha, eu sei que não, mas o silêncio por vezes dói, custa. Ou então, tenho sido eu que não o tenho ouvido...

Como está escrito, "O Senhor é para nós como um pai afectuoso e compreensivo."

Isto tudo para dizer: BUSCA O SENHOR, com todas as tuas forças, e Ele se achegará a ti, mesmo que venham dias em que não pareça...

Eu creio que o Senhor quer filhos que se relacionam com Ele em todos os momentos: nos dias em que Ele se manifesta claramente e nós podemos vê-lo, sentí-lo, mas também nos dias em que parece que Ele não está lá, está looonge, distante...

Viver pela fé e não pela vista.

6 comentários:

Flá Mendes disse...

:) agora chegou o teu tempo de silêncio! de ouvir! de receber!
o silêncio na maior parte das vezes nos incomoda, deixa-nos inseguros, mas é terapeutico!, é instrumento de Deus em nós. e uma disciplina a ser aprendida por nós... estar em silêncio e ouvir!
Deus te abençoe!

Andrea disse...

Glória a Deus, por tudo o que o Senhor tem estado a fazer em ti mana! É verdade, por vezes dói, mas é uma dor que chega a dar alegria porque sabemos que estamos a ser moldados, trabalhados por ELE. Nesses momentos despimo-nos de nós próprios e clamamos que o Senhor nos encha com a Sua natureza, e Deus enche, como ELE enche!
Sejas exaltado Senhor, querido Senhor!

Anónimo disse...

boas, sou um mero navegador q deu de calhas com este blog, e como "pensador" que sou vi-me na obrigaçao de deixar uma opiniao muito sincera ácerca doq aqui se transmite; nao sou crente, 100% ateu, ceptico e eternamente crucificado pela vida(ironico nao?) Considero q tenho uma consciencia social muito vincada e nao preciso de Deus nenhum para ver a injustiça do mundo, a podridao da raça humana mas q posso intervir pra plo menos minorar o sofrimento daqueles que nada tem, pessimista eterno? Sou sim, mas o que queria verdadeiramente dizer sem me alongar muito é que a fé é como Deus, só quem acredita a sente, e como tal pode-se correr o risco de ficar limitado nas perspectivas que temos ácerca do mundo e da vida em si mesmas; posso criticar violentamente aquilo q nao acredito mas nao tento impor oq quer q seja a ninguem, cada qual escolhe um caminho e é responsavel por isso, mas será q a fé apaga a dor, a miseria a fome?? Ou apenas a esconde e dissimula com palavras bonitas q queremos ouvir??!!

Paula disse...

Flávia, obrigada pelas palavras... realmente é o tempo de eu ouvir, sim, e é terapêutico... já está a ser!
Mana querida, obrigada porque me tens lembrado que apesar de tudo, eu posso viver a alegria nestes momentos, mesmo nos momentos tristes, e já comecei hoje a viver. És um presente de Deus.
Caro navegador anónimo,sem dúvida que cada um escolhe o seu caminho e tem de haver respeito pelas diferentes vivências e opiniões. E eu respeito o que escreveste e compreendo, do fundo do coração. A fé e Deus não são vituais, estão acessíveis a todo aquele que quer viver, não uma religião fria, seca, cheia de regras e normas que nada acrescentam de bom ao ser humano, mas é o início de um relacionamento que é o único que nos pode completar totalmente! E sim, a fé em Deus apaga a dor, a miséria e a fome, não são apenas palavras bonitas, mas sim Deus a agir... Deus não está escondido nas religiões, dentro dos seus quadrados. Deus está de braços abertos (os braços de Jesus) para se relacionar com o homem. Não é conversa bonita, é a realidade que eu e muitas outras pessoas vivem.

Anónimo disse...

Não consigo compreender como é que palavras podem substituir actos,ultrapassa-me mas de qq modo vejo pelo menos que abordas a crença de uma forma muito propria e que ao que parece consegues compreender pontos de vista diferentes dos teus; ja agora deixo aqui uma sugestao, um livro "conversas com deus" em www.sinaisdefogo.pt, mesmo sendo nao crente li e gostei muito

Paula disse...

Por acaso conheço esse livro mas ainda não o li. Irei seguir a tua sugestão. Apenas gostava de dizer que concordo contigo: as palavras não podem substituir actos. ABSOLUTAMENTE. É isso que se vê na vida de Jesus. Ele falava, mas agia muito. A fé sem acção é morta, diz a própria Bíblia, sabias?
Não podemos é achas que Deus é o Deus que os homens fazem... Deus é muito superior ao que vês no mundo, ao que os homens dizem que Ele é. Olha, eu própria estou cansada de apenas conversa, por isso te digo que compreendo a tua perspectiva.
Faço-te um desafio: mesmo que não acredites em Deus (já disseste que não acreditas), fala com Ele, como se estivesses a falar com uma amigo e pede que se Ele existe, se manifeste a ti. Não desistas à primeira... É um desafio que gostava que experimentasses...

Arquivo