Conversa vs Acção?

Uma pequena conversa com um visitante anónimo inspirou-me para escrever sobre o seguinte tema:

A fé e a Acção

De que vale a fé sem acção?

Será que a fé sem acção é verdadeira, é válida?

Para que serve a fé?

Enquanto ao nosso redor morrem milhares de pessoas por minuto, quanto tempo gastamos nós a conversar sobre a fé, comparado com o tempo que gastamos a exercer a nossa fé na prática?

A religião leva apenas a conversar-se, meditar-se, reflectir-se, mas a verdadeira fé leva a isso e ainda à acção.

(Entenda-se por verdadeira fé um relacionamento real com Deus, através do Seu Filho Jesus Cristo.)

Se dizemos ter um relacionamento com Deus, através da fé, porque não fazemos nós aquilo que Ele fez? Veio e misturou-se com os humanos, agiu, relacionou-se, etc. e não apenas conversou, debateu, acusou...

O que acham?

5 comentários:

Nuno Barreto disse...

Eu acho que é isso mesmo. Fé sem obras é morta.

Andrea disse...

Sim mana, claro que sim.
É normal que as pessoas estejam fartas de ouvir falar de fé e não verem mudanças. A fé verdadeira leva à acção. Quem realmente conhece o Senhor Jesus sente vontade de agir e age, não fica pelas palavras. Perde-se tanto tempo em "filosofias" religiosas quando há tanto para fazer no mundo. Deus age! Quererá o ser humano agir? Temos que sair do nosso egoismo e amar, mas amar sem esperar que o outro ame primeiro, é aí que tudo começa!

J03|_ disse...

Por isso vai aparecer a GERAÇÃO VIVA!!! HEHE

Anónimo disse...

Concordo absolutamente contigo, fala-se muito nos calabouços da igreja, fala-se demais ácerca de coisas que nao foram nem nunca se realizarão se continuarem com os seus dogmas e conversas de binlioteca... Cara Paula, eu falo comigo proprio, porque se nao posso confiar nos outros ao menos confio em mim mesmo, nas minhas capacidades e capacidade pra melhorar essas mesmas capacidades. Sei bem o que queres dizer e transmitir com aquilo que me disseste mas eu prefiro viver na duvida e na angustia doq na certeza cega(pq pra mim toda a certeza o é) e angustia de nao saber o que o proximo dia nos reserva...uma coisa tenho certeza, sejam catolicos, budistas, muçulmanos ou ateus existem valores que sao universais: a empatia e solidariedade bem como o perdao que a igreja tanto prega e tao crucifica ao mesmo tempo, vivemos mesmo numa crise de valores mas nao daqueles da biblia, daqueles que nos tornam humanos

Paula disse...

Oláa.
É bom ver que voltaste... que não seja a última vez!
Respeito o que dizes, de preferires viver na dúvida e angústia do que na certeza cega. Entendo porque tb já pensei assim, mas quando ganhei algumas certezas soube-me bem a angústia passar... Mas isto sou eu. Mas olha, mesmo com certezas, eu não sei o que o próximo dia me reserva... estamos no mesmo barco!
Vivemos sem dúvida numa crise de valores, mas eu arrisco dizer que mesmo que todos nós sigamos esses valores, não nos vão levar a lado nenhum... irá continuar a haver uma crise de qq coisa... na minha opinião, crise de falta de Deus.
Isto foi o q aconteceu comigo, e eu apenas posso falar disso, né?
Beijinhos e volta sempre!

Arquivo